Malanje: famílias incentivadas para a produção de alimentos

Malanje:famílias incentivadas para a produção de alimentos
Malanje:famílias incentivadas para a produção de alimentos

Trinta e uma mil famílias camponesas de cinco municípios de Malanje vão beneficiar de investimentos para a produção de alimentos, escoamento e sua comercialização no âmbito do Projecto de Agricultura Familiar Orientada para o Mercado (Mosap) lançado esta quarta-feira no Instituto Médio Agrário local.

A Unidade  Provincial de Implementação do MOSAP (UPIP), através do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) seleccionou no  município de Caculama a comuna sede, Muquixe e Caxinga, a sede de  Cacuso e Lombe, no município de Calandula a prioridades vão  para a capital, Cota e Cuale,  Kiwaba Nzoji sede e comuna de Mufuma e na capital provincial Malanje estão no projecto às comunas de Cambaxe e Ngola Luiji.

O financiamento do projecto está avaliado em cerca de 50 milhões de dólares norte-americanos disponibilizados pelo Banco Mundial, Associação para o desenvolvimento Internacional,  Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola, Governo do Japão e Governo de Angola que será executado durante seis anos igualmente nas províncias do Bié e Huambo.

O coordenador Nacional do Mosap, engenheiro Henriques Alves Primo referiu que  sua preparação começou há dois anos.

“O projecto foi negociado pelo governo angolano e o Banco Mundial que data de 2008, que foi autorizado o financiamento deste projecto, mas o Banco Mundial impôs condições para se tornar activo e só foram satisfeitas em 2010. A efectividade do projecto começou em Outubro de 2010, para se começar a passar para a componente dois a mais forte do projecto e a mais visível  que é o conhecimento dos sub-projectos é preciso que existam algumas regras o que estamos a fazer agora.

Uma delas é a capacitação, nós vamos iniciar agora o contrato com os coordenadores dos serviços de prestação, e, para a província de Malanje vai ser a Adra Provincial (Acção Angolana para o Desenvolvimento Rural e Ambiente) que será assinado até ao final deste ano e vai ser executada por uma empresa chamada Lisa”.

O vice-governador provincial para o sector económico de Malanje, António David Dias da Silva afirmou na abertura o workshop de apresentação no sector do Quéssua, que o Mosap está incluído na política do governo angolano para combater a fome e a pobreza  que se junta  às estratégias nacionais de Combate a Fome e Redução da Pobreza e de Segurança Alimentar e Nutricional, aos programas de Emergência e Reabilitação, Municipal Integrado, Municipal de Desenvolvimento Rural de Combate a Fome e a Pobreza e de Extensão e Desenvolvimento Rural e o crédito agrícola.

A administradora comunal adjunta de Muquixe, município de Caculama,  Maria Domingos, uma das localidades sede de Malanje disse não ter dúvidas de que a venda dos produtos dos camponeses vai aumentar com a criação do novo instrumento.

“Porque vezes há em que os camponeses produzem, têm muito produto e acabam por apodrecer, então, eles facilitando isto já é muito bom, facilita a movimentação dos camponeses. O acesso à nossa comuna não é difícil por que temos estrada asfaltada de Luanda a Lunda, temos alguns problemas, algumas pontes, pontões lá são pouca coisa”.

O aumento da produção agrícola através da prestação de melhores serviços e apoio em termos de investimento para os pequenos produtores rurais nas comunidades e municípios das províncias alvo vai criar o bem estar dos mesmos.

O vice-governador para o sector social é o coordenador provincial  do novo instrumento do executivo angolano e integram o delegado das Finanças, os directores Províncias da Agricultura, do Território Urbanismo e Ambiente, Comercio Hotelaria e Turismo, da Família e Promoção da Mulher, Gabinete de estudo e Planeamento, Coordenador Provincial do MOSAP e o chefe de Departamento do IDA.

 

Por Isaías Soares | Malanje

Fonte: VOA

Foto: Sodepa

DEIXE UMA RESPOSTA