Linha de transporte de energia da barragem do Lomaum concluída em oito meses

As obras na linha de transporte de energia da barragem do Lomaum à sub-estação do Biópio (Benguela) serão concluídas no prazo de oito meses, após o arranque da sua empreitada, afirmou o presidente do conselho de administração da ENE, Fernando Barros.

O responsável, que falava durante uma visita da ministra da Energia e Águas, Emanuela Vieira Lopes, ao município do Cubal (Benguela), disse que decorrem negociações com a empreiteira para se resolver os cronogramas que visam ajustar o arranque das obras em função da conclusão da central hidroeléctrica, para que no curto prazo a energia chegue à subestação do Biópio em Benguela.

Avançou que no âmbito do contrato de concepção, da qual resultou a uma entidade privada este direito, sem citar qual, irá explorar a central após a sua reabilitação, desconhecendo-se o tempo cedido para este fim, uma vez que a reabilitação da barragem hidroeléctrica do Lomaum está já fase terminal.

Fernando Barros precisou, por outro lado, que com a intervenção efectuada na reabilitação deste empreendimento terá uma produção global de cerca de 50 megawatts, facto que irá suprir o défice que existe na região centro do país.

Salientou que a intervenção cingiu-se na montagem de quatro novas turbinas com a capacidade de dois grupos geradores de 15 megawatts cada e outros dois de dez megawatts cada, contra os 35 produzidos anteriormente até em 1983, altura em que foi destruída por acção do conflito armado.

A recuperação da barragem e sua tubagem, subestação e residências afecto à empresa, que está praticamente concluída, fazem parte da intervenção.

Numa primeira fase, adiantou, a energia será consumida apenas pelo litoral de Benguela, a que associar-se-á ao projecto de ligação do sistema centro e norte, visando processar uma transferência de produção do centro para norte e do norte para o sul.

Emanuela Vieira Lopes fez-se acompanhar dos membros do seu pelouro e do vice-governador de Benguela para esfera económica e social, Agostinho Estêvão Felizardo, onde se inteirou das obras de reabilitação em curso na barragem hidroeléctrica do Lomaum.

A comitiva se inteirou igualmente do fornecimento de água às populações que tem conhecido melhorias significativas com a entrada a mais de seis meses da potabilizadora, com uma capacidade de bombear 100 metros cúbicos hora.

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA