Gonçalves Muandumba está atento às preocupações básicas dos jovens

Encontro entre o ministro da Juventude e Desportos e representantes de organizações ligadas ao Conselho Nacional da Juventude Fotografia: Santos Pedro
Encontro entre o ministro da Juventude e Desportos e representantes de organizações ligadas ao Conselho Nacional da Juventude Fotografia: Santos Pedro

O Conselho Nacional da Juventude (CNJ), em parceria com o Ministério da Juventude e Desportos, realiza nos dias 1 e 2 de Dezembro o Fórum Nacional da Juventude, sob o lema “Juventude, diálogo e participação social”.
O ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, disse que o encontro visa reflectir sobre os principais problemas que afectam a juventude, contribuir para a definição de uma linha de intervenção nacional para com a juventude, bem como promover a troca de experiências.
A falta de emprego e de habitação e o lançamento do crédito jovem, no quadro do empreendedorismo e auto-emprego, são apontados como os temas de destaque durante o fórum.
Gonçalves Muandumba disse que a conjugação de esforços apresenta-se como uma das soluções para os mais variados problemas que afectam a sociedade e a juventude em particular. “Devemos reflectir juntos sobre os mais variados aspectos que dizem respeito à juventude”, disse.
O ministro espera que o fórum possa ajudar a criar condições para a melhoria das acções para o enquadramento da juventude na abordagem de questões que promovam o desenvolvimento e a consolidação da paz e do processo democrático em curso no país.

“Os problemas da juventude são comuns e vão ser resolvidos. Vamos analisar os planos da juventude e cumprir as orientações do Executivo. Vamos buscar as genuínas preocupações dos jovens. Esta é uma estratégia a ser levada a cabo entre o Ministério e o CNJ”, referiu.Gonçalves Muandumba informou que tudo vai ser feito para dar solução aos problemas financeiros das organizações juvenis.
“O principal problema está nos meios financeiros, mas este vai ser resolvido. Vamos dar apoio também a todas as organizações juvenis e analisar os problemas de forma profunda e desapaixonada, fora das feições políticas ou partidárias, porque são problemas comuns dos jovens de Cabinda ao Cunene”, disse.
O ministro acrescentou que é importante dar resposta aos problemas de todos sem distinção.

 

Fonte: JA

DEIXE UMA RESPOSTA