Executivo transforma Projecto Aldeia Nova numa Sociedade Comercial

O projecto Aldeia Nova, lançado em Dezembro de 2003, evoluiu para uma empresa, denominada Aldeia Nova Sociedade Anónima, referiu domingo, o ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Afonso Pedro Canga. Em declarações no programa “Espaço Público” da Televisão Pública de Angola, o governante afirmou que após a sua idealização, o Projecto Aldeia Nova começou registar dificuldades na fase de execução, devido aos custos de produção.

Segundo o ministro, o projecto ressentiu-se igualmente com custos inerentes à manutenção das suas infra-estruturas, logísticas e, sobretudo, com os gastos em combustíveis para manter em funcionamento 24/24 horas a fábrica de leite. “Face a essas dificuldades, era necessário mudar a filosofia do projecto, tornando-o numa empresa para ser auto-sustentada e deixar de depender do Orçamento do Estado. Assim criou-se a Aldeia Nova Sociedade Anónima para gerir os activos do Estado,” precisou. De acordo com o governante, a empresa está em fase de estruturação para administrar o património do projecto e elevar o empreendimento a um nível superior, em relação as acções já realizadas pela direcção do Aldeia Nova, bem como pagar as suas dívidas para com fornecedores.

Pedro Canga realçou que apesar das dificuldades, nas instalações do Projecto Aldeia Nova continua a ser produzido leite, frango, ovos e outros bens alimentares. Um investimento do Estado de 70 milhões de dólares norte-americanos, localizado no Waku Kungo, província do Kwanza Sul, o então projecto Aldeia Nova criou-se para contemplar, em particular, 600 famílias, das quais 300 de desmobilizados das ex-Forças Armadas Populares de Angola (Fapla) e das ex-forças militares da Unita “Fala”.

Durante o espaço público, uma sessão de perguntas e respostas com jornalistas da comunicação pública e privada, Pedro Canga debruçou-se, entre outros assuntos, sobre a contribuição do sector florestal no PIB, da produção de algodão mo país, a materialização de projectos de grande e média escala e da auto-suficiência de Angola em certos produtos.

Fonte: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA