Executivo trabalha para valorização dos fazedores de arte no país

Luanda – O vice-ministro da Cultura, Cornélio Calei, disse hoje, segunda-feira, em Luanda, que o Executivo está a desenvolver políticas para a valorização dos fazedores de artes no país, de forma a que tenham melhor condição social de vida.
De acordo com o responsável, que respondia à inquietações dos deputados da 5ª Comissão de Economia e Finanças, que discute às dotações orçamentárias no sector social, estão identificados muitos problemas que condicionam a qualidade de vida dos fazedores, mas que, oportunamente, o Governo tem respondido a algumas.
Disse que o ministério identificou como forma de ajuda, entre outras, na solicitação de projectos culturais que possam merecer algum apoio do Estado.
Disse que o Governo tem também perspectivada, para 2012, a abertura de um Instituto Médio de Artes, que poderá capacitar agentes culturais, garantir empregabilidade, e conferir outras vantagens para o sector, bem como dos fazedores de cultura e artes.
Referir que o Ministério da Cultura tem instituído um prémio anual de Cultura de Artes, que premeia os fazedores de cultura do país.
O Orçamento Geral do Estado (OGE) consagra para o sector social 33, 3 porcento do seu total global.
O Orçamento Geral do Estado para 2012 aprovado pela Assembleia Nacional estima receitas e despesas em Akz 4.420.483.285.532 (quatro triliões, quatrocentos e 20 mil milhões, quatrocentos e oitenta e três milhões, duzentos e oitenta e cinco mil e quinhentos e trinta e dois Kwanzas).

 

Fonte: Angop

Foto: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA