Esposa de Ai Weiwei é interrogada pela polícia de Pequim

O artista e dissidente chinês, Ai Weiwei.
O artista e dissidente chinês, Ai Weiwei.

A esposa do artista e dissidente chinês Ai Weiwei foi convocada pela polícia para ser interrogada, anunciou nesta terça-feira o artista. Crítico do regime comunista, acusado de fraude fiscal pela justiça chinesa, sua prisão em abril causou indignação na China.

“Eles não deram nenhuma explicação”, disse Ai. “Quatro policiais (de Pequim) pediram a minha esposa de ir à delegacia para ser interrogada”. Lu Qing é a representante legal da empresa Bijing Fake Cultural Developement, obrigada a pagar ao governo chinês 15 milhões de yuans (1,7 milhões de euros) por fraude fiscal. Ai Weiwei desmente a acusação. Graças à mobilização em tempo Record de 30.000 chineses simpatizantes, Ai Weiwei pode pagar a garantia necessária para recorrer da multa.

“Talvez eles estejam tentando me ameaçar”, disse Ai sobre o interrogatório de sua esposa, “estou muito preocupado”. Lu Qing é a terceira pessoa próxima a Weiwei a ser interrogada pela policia desde seu problema com a justiça chinesa. Segundo o artista, dois de seus assistentes já tinham sido convocados. O artista afirmou que sua esposa falou com a imprensa na época em que foi preso, em abril. “Isso provavelmente não agradou a policia”, completou.

Acusado de evasão fiscal, o pintor, artista plástico, arquiteto e escultor é célebre principalmente por ter participado da concepção do estádio olímpico de Pequim, que tem a forma de um ninho de pássaro, e sempre se disse inocente.

Sua prisão, que causou a indignação na China, aconteceu em um contexto de repressão lançada em fevereiro em Pequim contra os dissidentes e militantes de direitos humanos.

 

 

Fonte: RFI

Foto: Reuters/David Gray

DEIXE UMA RESPOSTA