Ler Agora:
Embaixadores distinguidos
Artigo completo 2 minutos de leitura

Embaixadores distinguidos

Ministério das Relações Exteriores celebrou o Dia do Diplomata e distinguiu os defensores de Angola no exterior

O Ministério das Relações Exteriores homenageou, ontem, em Luanda, antigos titulares do pelouro e funcionários, por ocasião da jornada comemorativa do Dia do Diplomata, assinalado pela primeira vez este ano sob o lema “Democracia Angolana no passado, presente e no futuro”.
Na cerimónia, realizada no Centro de Conferências de Belas, foi prestado tributo especial ao Presidente José Eduardo dos Santos, por ter sido o primeiro ministro das Relações Exteriores e patrono da diplomacia angolana.
Paulo Teixeira Jorge, Pedro dos Santos Van-Dúnem “Loy” e Venâncio da Silva Moura, a título póstumo, e Afonso Van-Dúnem Mbinda, João Bernardo de Miranda e Afonso Assunção dos Anjos, todos estes presentes no acto, foram homenageados por, segundo o actual titular do cargo Georges Chikoti, terem contribuído para o êxito da política externa angolana e dado o seu melhor na prossecução dos objectivos estratégicos do Estado angolano.
O ministro Georges Chikoti sublinhou o facto de, pela primeira vez na história da diplomacia angolana, se celebrar o Dia do Diplomata, “efeméride que assinala pela primeira vez o papel desempenhado pelos principais actores da política externa de Angola na consolidação da nossa independência e soberania e na defesa dos nossos interesses estratégicos”.
Em representação do primeiro ministro das Relações Exteriores, o Presidente José Eduardo dos Santos, Afonso Van-Dúnem Mbinda, antigo titular do cargo e actual secretário do Bureau Político do MPLA para as Relações Internacionais, realçou alguns dos momentos mais relevantes da História da diplomacia angolana, como o do reconhecimento de Angola pela então Organização de Unidade Africana (OUA) e pela Organização das Nações Unidas.
Afonso Van-Dúnem Mbinda lembrou, no entanto, que a diplomacia angolana começou muito antes da proclamação da independência, resultando daí a necessidade de se prestar a devida atenção a todo o trabalho que foi feito ainda no período dos movimentos de libertação.Foram também homenageados os funcionários que ingressaram no quadro de pessoal do Mirex em 1975 e 1976.
Os homenageados receberam um diploma de mérito e uma peça de cristal com imagem tridimensional do Ministério e cada peça apresenta uma mensagem personalizada.

Kumuênho da Rosa

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Samy Manuel

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »