Diplomatas chamados a trabalhar na imagem

Carolina Cerqueira vai avaliar periodicamente o desempenho dos adidos de imprensa Fotografia: Santos Pedro
Carolina Cerqueira vai avaliar periodicamente o desempenho dos adidos de imprensa Fotografia: Santos Pedro

A ministra da Comunicação Social afirmou ontem, em Luanda, que os adidos de imprensa das representações diplomáticas devem promover a realidade do país no estrangeiro.
Carolina Cerqueira, que discursava na abertura da VII Reunião Metodológica dos Adidos de Imprensa, que decorre até hoje numa unidade hoteleira, pediu aos adidos que assumam uma postura “digna e criativa” no desempenho das funções.
A recente abertura de embaixadas em vários países, salientou, representa a credibilidade e o dinamismo da actividade dos adidos, que não está dissociada da essência da acção diplomática do Executivo.
A ministra pediu também aos adidos que informem, com periodicidade, o Ministério da Comunicação Social sobre a actividade que exercem e lamentou o facto de em determinados casos haver ausência total de comunicação, pouca criatividade e um certo marasmo operacional.
Carolina Cerqueira frisou a importância da avaliação periódica do desempenho dos adidos de imprensa no âmbito das novas políticas de gestão desenvolvidas pelo Ministério da Comunicação Social.
A ministra disse que 2011 constituiu um marco importante para o fortalecimento da comunicação social no país e lembrou que foi discutido publicamente o pacote legislativo do sector, com uma série de projectos de diplomas que devem ser aprovados, proximamente, pelo Parlamento.

Realizações
A ministra anunciou a construção, nos próximos tempos, em Wako Kungo, no Kwanza-Sul, de uma sede das Edições Novembro, com um parque gráfico anexo, onde vai ser impresso o jornal Angola Rural.
Em ternos de realizações ao longo deste ano, Carolina Cerqueira salientou a abertura dos centros de produção da TPA em Malange e no Kwanza-Norte, com tecnologias de ponta, e de novas redes de emissores de rádio no Uíge, Lunda-Norte, Bié, Cunene, Kuando-Kubango, Moxico e Huíla, para garantir maior acesso das populações à comunicação. Além disso, anunciou a inauguração, para breve, dos centros de produção da TPA no Huambo, e da rádio em Malange, bem como a conclusão, no primeiro trimestre de 2012, dos centros de produção da TPA e da RNA no Kwanza-Sul. Carolina Cerqueira garantiu também a inauguração, no início do próximo ano, da nova sede da Edições Novembro no Kwanza-Norte, equipado com um centro de leitura, com novas tecnologias de informação.
Carolina Cerqueira revelou igualmente “a reorganização profunda” das empresas públicas do sector, um “amplo e exigente” programa de formação de quadros, racionalização de despesas e criação de receitas para impulsionar o desenvolvimento do sector empresarial de comunicação social.

Apelo ao registo
A ministra pediu aos adidos que aproveitem a permanência no país para reconfirmarem os dados eleitorais.  O pedido de Carolina Cerqueira foi feito no final de um curto seminário sobre eleições dirigido aos cerca de 50 adidos de imprensa que participam no encontro, em que foi orador o director nacional de Eleições, Agostinho Lima.
Agostinho Lima lembrou que não há registo eleitoral no estrangeiro e que só têm direito a voto os que se encontrem no exterior por motivos de doença, estudo ou trabalho.
“Não temos condições de fazer deslocar ao estrangeiro equipas de registo quando no país ainda nos deparamos com uma série de dificuldades”, afirmou Agostinho Lima, que defendeu a criação de uma base de dados actualizada.

Fonte: JA

DEIXE UMA RESPOSTA