Destacado o empenho do Chefe de Estado na consolidação da independência do país

Defesa da soberania nacional e os esforços de reconstrução nacional têm a contribuição garantida de todos os ramos das FAA
Defesa da soberania nacional e os esforços de reconstrução nacional têm a contribuição garantida de todos os ramos das FAA

O chefe do Estado-Maior adjunto das Forças Armadas Angolanas para a Educação Patriótica salientou, na quarta-feira, no Soyo, a importância do papel do Presidente José Eduardo dos Santos na consolidação da independência, paz e defesa da soberania nacional.
O general Egídio Santos fez a afirmação ao dissertar numa palestra, subordinada ao tema “Independência, o bem maior do povo angolano”, realizada no âmbito das comemorações do Dia da Independência Nacional,
Desde a conquista da independência nacional, recordou, foram criadas condições jurídico-legais que garantiram, aos angolanos, o direito e os deveres fundamentais, sem qualquer distinção de cor, raça, etnia, sexo e condição económica e social ou filiação religiosa.
Não obstante o desenvolvimento que o país conheceu em alguns sectores, como os da saúde, educação e habitação, referiu o general, o Executivo continua empenhado em construir mais infra-estruturas sociais para garantir o bem-estar das populações.
Na incursão histórica sobre a luta pela independência, lembrou também que, apesar da conquista, Angola retornou à guerra imposta por grandes potências devido às suas riquezas, que faziam dela o “fruto mais apetecido” entre todas as colónias, e à sua posição estratégica na região Austral e Central do continente africano. O general recordou, igualmente, que alguns países vizinhos criaram instabilidade em Angola, semeando o luto e a miséria entre as populações.“Como sabem, a nossa guerra pós-independência teve a intervenção de forças estrangeiras do regime racista da África do Sul e do antigo Zaire”, disse. O general afirmou que o conflito armado entre 1992 e 2002 foi o que causou mais danos aos angolanos e enalteceu a intervenção do Presidente Eduardo dos Santos na procura de soluções para uma paz efectiva no país.
Depois de 36 anos, frisou, a independência continua ser o bem maior dos angolanos e a soberania é um facto reforçado na Constituição da República.

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

 

DEIXE UMA RESPOSTA