Centro de Reabilitação Física muito aquém das necessidades

O centro hospitalar do Huambo contribui para a autonomia do país em termos de fabrico de próteses ortopédicas
O centro hospitalar do Huambo contribui para a autonomia do país em termos de fabrico de próteses ortopédicas

O director do Centro de Medicina e Reabilitação Física dr. Agostinho Neto, no Huambo, disse, no domingo, que a instituição está “muito aquém de corresponder à procura”.
José Chinoca afirmou que o centro, no bairro da Bomba Alta, necessita, pelo menos, de mil milhões de kwanzas para poder revitalizar a linha de produção de próteses paralisada há mais de um ano por falta de matérias-primas.
O centro precisa de obras de reabilitação e de ampliação para poder oferecer condições dignas, referiu, sublinhando que a paralisação da linha de produção de próteses deixou a instituição de “mãos atadas”.
O centro chegou a produzir, em média, por dia, entre 70 a 90 próteses e de 120 a 150 pares de muletas por mês, quantidades que, garantiu, satisfaziam as solicitações vindas de todo o país.
Apesar da situação actual, os trabalhos não estão paralisados na totalidade, pois o centro faz reparação de próteses e de muletas e presta serviços de fisioterapia e de medicina.
Esta, disse o director do centro, é a forma encontrada de manter o equilíbrio psicológico dos pacientes internados e dos que diariamente são atendidos. O centro, com capacidade para internar 60 pacientes, atendeu, de Janeiro de 2010 a Setembro deste ano, sete mil doentes provenientes das províncias de Benguela, Huíla, Kuando-Kubango, Moxico e Bié, além dos do Huambo.
“Os serviços de fisioterapia atendem, em média, entre 300 a 400 doentes por mês, mas o material e equipamento utilizados não são dos melhores”, lamentou José Chinoca.   A reabilitação e ampliação do edifício, a instalação de novos equipamentos, o aumento de 60 para 250 camas e a criação de serviços de cirurgia plástica são projectos da direcção da instituição.

O centro, fundado em 1979, é um dos poucos do género em África.


Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA