Centro de negócios no Moxico

Governador João Ernesto dos Santos
Governador João Ernesto dos Santos

O plano de desenvolvimento integrado do Moxico prevê acções para transformar o aeroporto do Luena num aeroporto internacional e tornar a província num centro de negócio para a região da SADC.
Analisado ontem pelos membros do conselho provincial de auscultação e concertação social, o plano de desenvolvimento integrado avança propostas e iniciativas para atrair representações de companhias nacionais e estrangeiras para o Moxico.
Orientada pelo governador João Ernesto dos Santos “Liberdade”, os membros do conselho de auscultação e concertação social analisaram detalhadamente o documento que traz acções para promover o turismo integrado no Moxico, aproveitando o projecto Okavango-Zambeze e atrair uma parcela significativa dos recursos disponibilizados pelo Banco de Desenvolvimento da África Austral para executar projectos que contribuam para o aumento do fluxo de turistas. Os participantes analisaram ainda o plano de alfabetização de adultos e o nível de rendimento escolar em todos os subsistemas de ensino, além de questões como o emprego, o acesso à água potável e à energia eléctrica, o saneamento básico, habitação condigna e a reinserção social das pessoas deslocadas.
Outro aspecto analisado pelos membros do conselho de auscultação e concertação social do Moxico foi a estratégia para erradicar a fome e a pobreza, a redução substancial da taxa de mortalidade materno-infantil e as acções para combater a malária e o VIH/Sida. A reunião, que contou com a presença da maioria dos membros, discutiu igualmente  intercâmbio em áreas potenciais como agricultura, com a aplicação de conhecimentos científicos e tecnológicos que elevem a qualidade dos produtos, além de contribuir para a melhoria da gestão das cooperativas.
Os membros do conselho de auscultação e concertação social defenderam também a implantação de estabelecimentos de formação profissional, voltados para as necessidades sociais, económicas e culturais da província. As escolas, de acordo com o plano, devem manter cooperação técnica com entidades de reconhecida idoneidade, como universidades e centros de desenvolvimento tecnológico.
A justiça na repartição de riqueza e do rendimento e a utilização eficaz e racional dos recursos naturais foram outros aspectos que mereceram destaque na reunião. O conselho discutiu ainda a protecção do ambiente e da biodiversidade.

 

José Rufino | Luena

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA