Aumento de casos de tuberculose

O sanatório tem recebido pacientes provenientes de diversas localidades
O sanatório tem recebido pacientes provenientes de diversas localidades

As unidades sanitárias da província do Bié, nos últimos três meses, detectaram 433 novos casos de tuberculose, revelou, no sábado, o supervisor do programa de controlo da doença.
Isaías Lemos, também responsável pelo Programa de Luta contra a Lepra, disse que os casos foram registados nas instituições clínicas dos municípios de Andulo, Cunhinga, Cuito, Catabola, Cuemba, Camacupa, Chitembo, Chinguar e Nhârea.
No mesmo período, referiu, 11 pessoas afectadas por tuberculose pulmonar e extra-pulmonar morreram na província do Bié. Isaías Lemos esclareceu que as autoridades sanitárias curaram 66 tuberculosos, mas 46 outras abandonaram o tratamento, por razões desconhecidas.
O supervisor do Programa de Luta contra a Tuberculose e Lepra lamentou a atitude de familiares que compartilham a ideia de que os doentes devem abandonar os sanatórios e permitem que continuem a ingerir bebidas alcoólicas.
Estão em curso acções para diminuir o elevado número de doentes com tuberculose, lepra e HIV/Sida na província do Bié. O ano de 2015 é a meta preconizada para manter apenas um doente com lepra em cada 10 mil habitantes na província.
Durante este ano, disse Isaías Lemos, 150 pacientes foram curados da tuberculose e 17 tiveram recaídas. A tuberculose nas crianças tem sido extra-pulmonar, ganglionar, intestinal e óssea, onde a transmissão da bactéria é fruto da convivência familiar.
O supervisor salientou que o sanatório, com capacidade para 135 camas para internamento, tem recebido pacientes provenientes de diversas localidades da província e de outras partes do país.

A falta de meios tem dificultado o transporte de pacientes e dificultado as restantes actividades do hospital. Há mais de oito anos que a unidade hospitalar não recebe obras, apesar do péssimo estado em que se encontra. Em relação à lepra, o supervisor salientou que 30 novos casos foram detectados, nos últimos três meses. 17 pacientes ficaram curados.
A supervisão e monitorização das unidades sanitárias, a distribuição de reagentes e medicamentos são as formas de prevenção e controlo da doença.
O Programa de Controlo da Tuberculose e Lepra desenvolve actividades de rastreio, diagnóstico e tratamento de doentes e fornece permanentemente os medicamentos às unidades sanitárias.

Delfina Vitorino| Cuito

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA