Aniversário da luta de libertação nacional

Embaixador Kamel Boughaba destacou os avanços registados no seu país
Embaixador Kamel Boughaba destacou os avanços registados no seu país

A Argélia celebra mais um aniversário do início da luta de libertação nacional num contexto de esforços políticos e discussões públicas com vista a atingir as reformas constitucionais propostas pelo presidente Abdelaziz Bouteflika, declarou na terça-feira o embaixador argelino em  Angola, Kamel Boughaba.
Falando à agência Angop em alusão ao 57º aniversário da Revolução Argelina, celebrado ontem, o diplomata disse que actualmente o governo está a “desenvolver esforços políticos visando as reformas em diversos sectores, dos quais se destaca o sector da informação, com a preparação das condições para a criação de um canal de televisão privado”.
Kamel Boughaba adiantou que os partidos, as associações e os membros da sociedade civil encontram-se actualmente a discutir as bases para a aprovação da lei dos partidos políticos e da lei eleitoral, bem como sobre a participação das mulheres na vida política, onde se propõe a inclusão de 30 por cento de mulheres em todos os cargos electivos.
Paralelamente, o embaixador indicou que o país registou avanços em benefício da sociedade nos sectores da educação, cultura e da habitação, na criação de postos de trabalho e na luta contra o analfabetismo.  “Hoje, o acesso escolar cobre 95 por cento das crianças argelinas em idade escolar. Temos 10 milhões de crianças e jovens a frequentar a escola desde o ensino primário, secundário e universitário, bem como na formação profissional”, considerou.
Segundo o diplomata, o governo visa eliminar completamente o analfabetismo na Argélia dentro de seis a 10 anos. “Trabalhamos com o resto do continente, no quadro da União Africana, da UNESCO, nos programas de ensino, para o desenvolvimento educacional dos argelinos e dos africanos em geral”, explicou Kamel Boughaba.
A Argélia celebra anualmente o Dia da Revolução a 1 de Novembro, em homenagem a cerca de um milhão e dois mil mártires que tombaram na luta pela liberdade nacional. É o segundo maior país de África, após o Sudão, com 34 milhões de habitantes, e está situado no norte do continente africano. A capital é Argel.
A Argélia, antiga colónia francesa, proclamou a sua independência a 5 de Julho de 1962, após 132 anos de colonização e sete anos de guerra de libertação nacional.

A Constituição argelina define o Islão, o árabe e os berberes como componentes fundamentais da identidade do povo argelino.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Rogério Tuti

DEIXE UMA RESPOSTA