Agentes sindicais confirmam registo

Campanha de sensibilização envolve a sociedade civil no processo de reconfirmação
Campanha de sensibilização envolve a sociedade civil no processo de reconfirmação

Elementos da UNTA – Confederação Sindical procederam, ontem, na brigada instalada na Mutamba, junto ao Governo Provincial de Luanda, à reconfirmação do registo eleitoral.
No total, foram 40 sindicalistas que escolheram o local onde vão exercer o direito de voto nas eleições gerais do próximo ano.
O secretário-geral da UNTA-CS, Manuel Viagem, disse, aos jornalistas, que é fundamental mobilizar mais pessoas para o processo de recenseamento e actualização de dados, que decorre até 16 de Dezembro.
Manuel Viagem lembrou que Angola é um Estado de Direito Democrático, pelo que os seus órgãos têm de ser legitimados pela vontade popular, mas que, para isso acontecer, os angolanos têm de estar registados para poderem votar.
O sindicalista pediu aos trabalhadores, com idade de votar, que se registem ou reconfirmem os dados eleitorais “para participarem do processo de fortalecimento das instituições do Estado”.
Manuel Viage também pediu que haja mais informação sobre a campanha e elogiou os órgãos de gestão do processo eleitoral por privilegiarem os meios de comunicação social na divulgação de mensagens sobre a importância do registo.
“Os agentes ligados ao registo eleitoral e outras entidades deviam avançar para o contacto directo com os cidadãos porque deve haver muita gente que tem dificuldade de acesso aos meios de comunicação social e, por isso, não estão ainda sensibilizadas”, referiu.

Todas as instituições e organizações da sociedade civil, incluindo sindicatos, salientou, devem começar a trabalhar junto dos filiados e dos vários segmentos da sociedade a fim de que todos tenham consciência plena da importância do registo eleitoral e da reconfirmação dos eleitores que já estão registados e participaram nas eleições legislativas anteriores. O voto é um direito mas é igualmente um dever de cidadania e obriga todos os cidadãos angolanos.

Agentes prisionais

Os funcionários e agentes dos estabelecimentos prisionais da província do Kwanza-Norte podem, doravante, proceder à actualização do registo eleitoral nas brigadas instaladas, segunda-feira, nas respectivas unidades.
No primeiro dia de funcionamento, as brigadas registaram, em Ndalatando, 155 funcionários dos Serviços Prisionais da província, entre agentes prisionais e trabalhadores civis. A iniciativa da Direcção dos Registos enquadra-se no processo de instalação de brigadas de registo junto dos locais de trabalho e de maior concentração populacional. O director provincial dos Serviços Prisionais do Kwanza-Norte, Pedro Júnior, o primeiro a cumprir com este dever, considerou o acto “cívico e patriótico, bem como um pressuposto indispensável para o exercício do direito de cidadania, através da participação nas próximas eleições gerais”.

Mobilização em Benguela

Ao todo, 13.409 novos eleitores foram registados, entre 29 de Julho e 30 de Outubro, na província de Benguela, revelou, ontem, o chefe do Departamento de Estatística da Direcção Provincial dos Registos.
Paulo Marques referiu que o município de Benguela averbou mais registos, 5.097, seguido do Lobito, 3.745, e do Ganda, com 899. A seguir estão os municípios do Cubal, Balombo e Baía Farta, com 881, 742 e 677 registos. Caimbambo, 552, Chongorói, 438, e Bocoio, 378, completavam a lista. No mesmo período, afirmou Paulo Marques, foram actualizados os registos de 191.453 eleitores. Destes, 26.836 solicitaram a segunda via do cartão de eleitor, 644 alteraram os registos e 30.212 mudaram de local de residência.
A província tem 38 brigadas de registo, com  nove no município de Benguela, que funcionam com 190 elementos recenseadores.

Avanços no Quipungo

No Quipungo, 51.512 eleitores efectuaram a actualização e o registo eleitoral, anunciou, ontem, o chefe de Repartição Municipal dos Registos.
João Carvalho disse que 20.012 são registos pela primeira vez e que os outros actualizaram os dados, a maioria relacionados com a mudança do local de residência e local de votação. A Repartição Municipal dos Registos, declarou João Carvalho, programou o registo de trabalhadores de várias empresas, com o intuito de levar este serviço junto dos eleitores.

Registo em escolas

A coordenadora da comissão para o processo eleitoral no Cazenga, Isabel Paulo, referiu, ontem, que as brigadas móveis de actualização estão a trabalhar nas escolas 1 de Junho e nº 7015 para mais alunos em idade eleitoral se poderem recensear e votar pela primeira vez.
O processo decorre junto à administração comunal do Cazenga.   Outra brigada, declarou, funciona, desde segunda-feira até amanhã, na escola Moloine, no bairro Grafanil.
A partir de amanhã passa a funcionar, durante três dias, na escola n.º 7024 do Cazenga. O objectivo é ir às zonas onde existe maior concentração de pessoas e sobretudo às areas do Cazenga onde há conhecimento da existência de jovens que agora completaram 18 anos.
No domingo, outra brigada deve entrar em funcionamento no Largo da Rua do Comércio, na comuna do Tala Hadi. O município do Cazenga tem também uma brigada fixa no Marco Histórico 4 de Fevereiro e duas brigadas móveis. O registo está a correr dentro das previsões.

Huíla é segunda praça

O governador da Huíla, Isaac dos Anjos, apelou ao empenho das autoridades tradicionais, líderes de partidos políticos e religiosos para se empenharem na mobilização dos jovens e cidadãos em idade eleitoral para afluírem em massa aos postos de registo.
Isaac dos Anjos disse que o processo de actualização do registo eleitoral, em curso até 16 de Dezembro, é um desafio para todos, sobretudo os líderes dos partidos políticos e membros da sociedade civil com responsabilidades sociais. O governador reconheceu que o ritmo de afluência dos cidadãos aos postos de registo e de actualização eleitoral na província é lento, mas pode ser acelerado com campanhas de mobilização de todos os potenciais eleitores.
Isaac dos Anjos disse que a província da Huíla tem a missão de manter o estatuto de segunda maior praça eleitoral, conquistada em 2008. “No próximo ano vamos ter eleições. O ritmo do registo eleitoral e confirmação dos locais de votos está muito lento.
Quero apelar aos pais e autoridades tradicionais da província da Huíla que mobilizem a população para efectuar o registo eleitoral e a actualização”, disse o governador Isacc dos Anjos.
Reconheceu que a província tem poucos meios e brigadas para o registo eleitoral mas aposta  na superação da meta de sete mil cidadãos recenseados diariamente.
O novo administrador do Cuvango, Miguel Luís,  assumiu o compromisso de trabalhar com os agentes políticos do município na mobilização de todos os cidadãos para a actualização do registo eleitoral.

Fonseca Bengui

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Kindala Manuel

DEIXE UMA RESPOSTA