Agência do Banco Sol em Ndalatando facilita crédito aos pequenos negócios

Primeira agência do Banco Sol na cidade de Ndalatando dispõe de vários pacotes de serviços relacionados com a concessão de créditos
Primeira agência do Banco Sol na cidade de Ndalatando dispõe de vários pacotes de serviços relacionados com a concessão de créditos

O presidente da comissão executiva do Banco Sol, Miguel Coutinho, disse em Ndalatando, Kwanza-Norte, durante a abertura do primeiro balcão da instituição bancária na província, que a estruturação e coesão das famílias angolanas, passa pelo combate à pobreza com a criação de acções de desenvolvimento alternativo que garanta o emprego aos jovens.
Os bancos, disse Miguel Coutinho, devem desenvolver políticas de crédito, para o reforço da inclusão social, promoção e fomento de pequenas iniciativas de desenvolvimento criadas pelos jovens. Afirmou que o Banco Sol vai continuar a intervir na dinamização da economia angolana de forma solidária, inclusiva, para promover o progresso social. “A juventude deve compreender qual é o seu lugar na sociedade, criando iniciativas louváveis”, concluiu Miguel Coutinho. Acrescentou que o crescimento económico e o desenvolvimento sustentável só são alcançáveis, através da criação de sistemas bancários sérios, credíveis e fiáveis.
O primeiro balcão do Banco Sol na província do Kwanza-Norte, gerou 12 postos de trabalho e exigiu a construção de um imóvel que custou um milhão e meio de dólares. As obras foram executadas em seis meses. O balcão do Banco Sol tem cinco caixas de atendimento e garante crédito agrícola de campanha e investimento, à habitação, para compra de automóvel e para investimento em pequenos negócios.
Miguel Coutinho disse que o Banco Sol tem actualmente 89 balcões, depósitos no valor de um 1,3 mil  milhões de dólares, para além dos créditos cedidos, avaliados em 347 milhões de Dólares. O vice-governador provincial do Kwanza-Norte, para o sector económico, Manuel de Abreu, a quem coube o corte da fita inaugural, disse que o Banco Sol vai ajudar o desenvolvimento da província, através da cedência de micro-crédito, instrumento que em sua opinião promove acções de combate à fome e à pobreza.
Manuel de Abreu sublinhou que a política de crédito do Banco Sol vai gerar milhares de novos postos de trabalhos, obtenção de rendimentos e levar às comunidades serviços que possam contribuir para o seu bem-estar da população.
O vice-governador do Kwanza-Norte aconselhou os agentes económicos a aproveitarem da melhor forma os serviços disponíveis no Banco Sol, com o objectivo de potenciarem os seus negócios, tendo em conta o aumento da produção, para o alcance do desenvolvimento sustentado da província.


Marcelo Manuel | Ndalatando

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA