Aberta campanha nacional de sensibilização sobre doenças crónicas não transmissíveis

Ministro da Saúde, José Van-Dúnem
Ministro da Saúde, José Van-Dúnem

Ndalatando – O ministro da Saúde, José Van-Dúnem, procedeu hoje, em Ndalatando, Kwanza Norte, ao lançamento da campanha nacional de sensibilização sobre doenças crónicas não transmissíveis (DCNT), uma acção do governo angolano que visa, entre outros objectivos, melhorar o conhecimento da prevenção e controlo das mesmas enfermidades.

A campanha, que vai decorrer em todo o país por um período ilimitado, visa ainda dotar os profissionais da saúde de conhecimentos sobre técnicas de prevenção e controlo das doenças, assim como permitir a elaboração de um programa nacional de luta e controlo das DCNT.
Ao intervir no acto de abertura, o ministro José Van Dunem referiu que a campanha serve igualmente para chamar a atenção do peso que as doenças crónicas têm no quadro das doenças no país e sensibilizar os governos provinciais a investirem mais no sector de saúde.
Segundo o governante, é urgente chamar a atenção sobre a responsabilidade que cada cidadão tem na diminuição das doenças crónicas não transmissíveis, visando a redução do peso que as mesmas têm nos gastos dos agregados familiares e no orçamento do estado, mediante práticas de estilos de vida saudáveis, de modos a aumentar a qualidade de vida da população.
Por sua vez, o governador do Kwanza Norte, Henrique André Júnior, disse que a iniciativa responde a dois grandes desafios do executivo angolano que visam em primeira instância controlar e eliminar o peso das doenças transmissíveis como a malária, tuberculose, tripanossomíases e VIH/SIDA e em segundo lançar as base para de forma organizada e sustentada controlar igualmente o peso das doenças crónicas não transmissíveis, nomeadamente a diabete, hipertensão arterial, cancro, lepra, entre outras.
Estas acções, acrescentou, passam necessariamente pela informação, sensibilização e pela adopção de estilos de vida saudáveis no que toca a alimentação, a prática de exercícios físicos adequados e o combate ao abuso ao alcoolismo e tabagismo.
Para o responsável, isto vai exigir de todos maior atenção e dinamismo nas acções que visam a mudança de comportamento e atitudes que favoreçam o aumento das doenças crónicas não transmissíveis.
Fonte: Angop
Foto: Angop

DEIXE UMA RESPOSTA