A Guiné Equatorial irá aderir à CPLP

Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)
Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)

A Guiné Equatorial vai aderir à  Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na próxima cimeira da organização, a realizar em Maputo, disse hoje em Luanda o presidente daquele país, Teodoro Obiang, no final de uma visita-relâmpago à capital angolana.

“Abordámos a integração da Guiné Equatorial na comunidade de países lusófonos e penso que na próxima cimeira, possivelmente a Guiné Equatorial será país membro”, disse Obiang.

Na curta declaração à imprensa, feita com significativo atraso relativamente à hora prevista, Teodoro Obiang salientou o facto do seu país presidir neste momento à União Africana e, nesse contexto, destacou ter trocado com o seu homólogo angolano, José Eduardo dos Santos, “impressões sobre a situação política africana e internacional”.

Foi também na condição e líder da União Africana, que Obiang que efectuou esta deslocação para, com Eduardo dos Santos, abordar questões de interesse do continente, onde as eleições de segunda-feira proxima no Congo Democrático não escapou da abordagem dos dois estadistas,  desenvolvimento de que Angola tem grande interesse, por causa da  estabilidade regional.Angola envolveu homens e meios no âmbito da observação da SADC.

Eduardo dos Santos tem a presidência da organização regional e também da CPLP, comunidade para onde a Guiné Equatorial aspira entrar, e esteve prestes a ser aceite na cimeira de Luanda,  não fosse a  pressão vinda da Europa, sobretudo das  organizações internacionais que continuam a colar o país insular africano, com práticas de violação dos direitos humanos  e corrupção.

Lembro que, por ocasião da visita de Passos Coelho, primeiro-ministro de Portugal, reconhecendo a determinante palavra do país europeu,no que toca a viabilização desta entrada para a CPLP, José Eduardo dos Santos que tem sido apoiante número um da entrada daquele país, fez um apelo à sensibilidade das autoridades portuguesas,enquanto país membro.

A Guiné Equatorial adoptou o português como segunda língua oficial,em sinal de comprometimento com os propósitos da comunidade.

Da agenda desta visita, constou um jantar oferecido pelo anfitrião José Eduardo dos Santos.
Sobre possíveis Acordos nada transpirou, embora a memória nos remeta a acordos anteriormente rubricados nos domínios das Pescas, Agricultura e Petróleos.

Sob um apertado cordão de segurança, antes de deixar Luanda, o visitante esteve hoje no Kilamba, emblemático complexo habitacional com qual o governo habitualmente brinda as figuras da política que se deslocam ao país.

 

Por Alexandre Neto | Luanda

Fonte: VOA

Foto: Embaixada Portugal / Brasilia

DEIXE UMA RESPOSTA