União de Escritores Angolanos lança livros em árabe e francês

Capa de Antologia do Conto Angolano da escritora Domingas de Almeida
Capa de Antologia do Conto Angolano da escritora Domingas de Almeida

O secretário-geral da União dos Escritores Angolanos (UEA), Carmo Neto, disse ontem ao Jornal de Angola que as antologias de autores angolanos em francês e árabe vão ser lançadas este ano.
As publicações, adiantou, fazem parte de um projecto da UEA de divulgar a literatura angolana a nível internacional, através da edição e tradução de várias obras de autores nacionais.
“A aposta é nas antologias por agruparem um conjunto de escritores num único volume”, disse Carmo Neto, referindo que, para tal, a UEA conta com o apoio das representações diplomáticas angolanas que consideram a iniciativa como uma estratégia da sua diplomacia cultural. Actualmente, a UEA tem parceria com as embaixadas de Angola em Portugal, Israel, Egipto, Brasil e França.
Após o acordo de cooperação celebrado em Janeiro com a sua congénere do Egipto (União dos Escritores do Egipto – UEE), o livro “Como se viver fosse assim: Antologia do conto angolano”, da escritora angolana Domingas de Almeida, foi traduzido em árabe, com uma tiragem de mil exemplares.
Em Israel foram lgualmente traduzidos em inglês e hebraico as obras infantis “As duas amigas”, de Cássia do Carmo, e “Jonito, vovo Jujú e o arco-iris”, da escritora Paula Russa, além de “Como se viver fosse assim: Antologia do conto angolano”, seleccionadas pela editora israelita que continua no mercado angolano a fazer a sua prospecção para a tradução de outros livros por si escolhidos. Está ainda no prelo a publicação de uma outra antologia do conto angolano, pela Présence africaine, fundada por Alioune Diop, em 1947. Com tradução de Dominique Stoenesco e Iva Flores, a obra denominada “Contes et Nouvelles d’Angola” apresenta 23 autores angolanos.
Dominique Stoenesco escreve ainda que os textos por si seleccionados também estão marcados pela história dos angolanos antes da colonização, pela luta de libertação nacional a partir dos anos 60 ou pelos dramas da guerra civil entre 1975 e 2002.Participam na antologia autores como António Fonseca, Arnaldo Santos, Benúdia, Boaventura Cardoso, Carmo Neto, Costa Andrade, Fragata de Morais, Henrique Abranches, Isaquiel Cori, Jacinto de Lemos, Jacques Arlindo dos Santos, João Melo, Jofre Rocha, José Eduardo Agualusa, José Luís Mendonça, José Mena Abrantes, Manuel Rui. Figuram ainda Ondjaki, Óscar Ribas, Pepetela, Roderick Nehone, Rosário Marcelino e Uanhenga Xitu.

Fonte: Jornal de angola

Fotografia: DR

DEIXE UMA RESPOSTA