Telescópio ALMA é nova ferramenta para entender galáxias

Imagem das Galáxias Antennae captada pelas parabólicas do telescópio ALMA, no Chile.
Imagem das Galáxias Antennae captada pelas parabólicas do telescópio ALMA, no Chile.

No coração do deserto do Atacama, no Chile, a 5 mil metros de altitude, 66 antenas de 7 a 12 metros de diâmetro, pesando mais de 100 toneladas se estendem por 14 quilômetros formando o mais vasto complexo astronômico do mundo. O ALMA, Atacama Large Millimeter Array, tem atualmente 16 antenas em funcionamento e outras 6 em fase de teste. O sistema deve atingir sua capacidade máxima em 2013, mas já se tornou operante.

Essa rede de antenas ligadas por fibra óptica e por relógios atômicos, funciona como um único telescópio que possui uma resolução espacial dez vezes superior a do telescópio Hubble. A RFI conversou com Laurent Vigroux, diretor do Instituto de Astrofísica de Paris, membro do Conselho Diretor do Observatório Europeu Astral, ESO, e presidente do ALMA e com Gustavo Rojas, astrofísico e representante no Brasil da ESO, para entender a importância e o funcionamento dessa construção gigantesca que detecta detalhes das superfícies dos astros.

 

Luiza Duarte

Fonte: RFI

Foto: REUTERS/ALMA

DEIXE UMA RESPOSTA