Show de Manguana no palco do Paraíso

Artista acompanhado pela banda Olímpia foi a grande atracção na tarde de domingo no Complexo Turístico Weza Paradise
Artista acompanhado pela banda Olímpia foi a grande atracção na tarde de domingo no Complexo Turístico Weza Paradise

O músico Sam Manguana foi o destaque na nona edição do projecto cultural “Palco das Recordações” realizado, no domingo, no Complexo Turístico Weza Paradise, em homenagem aos artistas Francó, Dr. Nico, Rochereau e Vicky Longomba.
Depois de algumas horas de música ambiente dos anos 60 e 80, foi anunciada, às 13h00, a entrada em palco da banda Olímpia, do falecido Diana Spray, cujo vocalista interpretou quatro temas na voz de Glória. A seguir actuou Pira Kanda, que interpretou “Regina”, “Etydiant na polo”, “Na boui ba temoins”, “Coco”, temas de Francó e Longomba.
Outro convidado da tarde foi Mandy Star, que recordou Dr. Nico e Rochereau com os temas “Tabalissimo”, “Quando la mãe”, “Bougie ja motema” e “Paquita”, este último muito aplaudido.
A versatilidade, o vigor e agilidade do guitarrista Teddy Nsingui, mais uma vez, chamou a atenção dos presentes. Com mais de 30 anos de carreira, Teddy interpretou “Barumba”, de Dr. Nico, “African Fiesta” e “Permission” de Rochereau, e “Siluvangi” de Francó.
A cantora Gigi, uma das grandes promessas da música angolana, abriu a segunda parte do espectáculo e mostrou toda a sua veia artística ao interpretar dois temas de Pongo Love.
Dr. Noe, intérprete das músicas de Francó, teve a incumbência de trazer à memória dos convivas aquele que foi mestre da rumba congolesa e mais tarde do “soukous”. Foi um dos mais aplaudidos da tarde, com os temas “Ngai tembe eleka”, “Tel pere, Tel fils” e “Bato ja Mabe”.  Sam Manguana, o último dos artistas convidados fez o público levantar-se das cadeiras para dançar e recordar temas que marcaram o início da sua carreira e de outros artistas da época.
O músico e a sua banda encerraram a festa, fazendo uma incursão pela vida artística dos músicos convidados, interpretando “Infidelité Madó”, “Robin Mopepe”, “Para Fifi”, “Matinda”, “Maria Valanta”, “Adios Teté”, “Joujou Zena”, “Pátria querida”, “Georgette”, “Morena”, “Fatimata”, “Maria Chantal e “Tio António”, este último, a recordar aos presentes o tempo da repressão colonial.

Makiadi Luambo Franco nasceu a 6 de Julho de 1938, em Sona-Bata, e morreu a 12 de Outubro de 1989. Foi um hábil músico da República Democrática do Congo (RDC).
Tabu Ley Rochereau nasceu em 1940, na RDC, e é o líder da Orchestre Afrisa International e um dos mais influentes vocalistas e compositores da África. Langa Langa Zaiko Longomba, “Vicky” (Victor Longomba Besange Lokuli) foi um cantor congolês excepcional e líder da banda, nascido em Kinshasa a 13 de Dezembro de 1932 e que morreu na mesma cidade a 12 de Março de 1988. Nicolas Kasanda wa Mikalay “Dr. Nico” nasceu a 7 de Julho de 1939 e morreu a 22 de Setembro de 1985. Popularmente conhecido como Dr. Nico, foi guitarrista, compositor e um dos pioneiros da música soukous.

Manuel Albano

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Dombele Bernardo

 

DEIXE UMA RESPOSTA