Ler Agora:
Resgates financeiros com custo milionário
Artigo completo 2 minutos de leitura

Resgates financeiros com custo milionário

José Manuel Durão Barroso

Os resgates financeiros aos bancos da União Europeia já custaram, desde 2008, quatro mil milhões de euros, disse ontem o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.
“No total, já gastámos mais de quatro mil milhões de euros, 500 milhões dos quais em ajudas directas para os bancos, valor a que acrescem garantias e outras ajudas”, disse Durão Barroso, numa entrevista ao programa I Talk no canal Worldview, transmitida na plataforma YouTube e também na Eurovisão.
O líder do executivo comunitário disse também que os Estados têm que controlar a despesa, mas reconheceu, no entanto, que a crise da dívida soberana devia ter sido atacada mais cedo porque “os países, como as empresas e as pessoas, não podem viver muito tempo acima das suas possibilidades”.
Durão Barroso acrescentou também que a UE devia ter actuado mais cedo, mas salientou que só agora há os instrumentos necessários, exemplificando com o reforço dos poderes do Eurostat, tendo reiterado que “vamos sair desta crise mais fortes”, antes de acrescentar que os 27 Estados-membros têm que aprofundar a cooperação. “Num mundo globalizado precisamos de uma Europa mais integrada”, sublinhou.
O pacote legislativo para a política de coesão 2014-2020, hoje apresentado pela Comissão Europeia em Bruxelas, quer promover o crescimento e o emprego na União Europeia (UE) com o reforço da competitividade entre os Estados-membros.
A política de coesão, que tem por principal objectivo promover um desenvolvimento harmonioso do conjunto dos 27 países da UE e, em particular, contribuir para reduzir a disparidade entre os níveis de desenvolvimento das diversas regiões, harmoniza as regras relativas aos fundos estruturais de modo a aumentar a coerência da acção da União Europeia.
“A política de coesão já contribuiu muito para a criação de prosperidade na UE. Agora, dada a crise económica, deve tornar-se um motor para o crescimento e competitividade”, disse o comissário europeu de Política Regional, Johannes Hahn, em conferência de imprensa, em Bruxelas..

 

Fonte: Jornal de Angola

Foto: AFP

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.