Redução de mortes nos hospitais

Técnicos analisaram problemas do ramo
Técnicos analisaram problemas do ramo

O director em exercício do Hospital Josina Machel, Leonardo Inocêncio, disse ontem em Luanda que o principal objectivo da sua unidade hospitalar é reduzir a mortalidade nos bancos de urgência e nas salas de internamento.
“Este seminário deve servir como guia prático do dia-a-dia dos enfermeiros, que devem ter como grande objectivo a redução da mortalidade tanto nos bancos de urgência como nas salas de internamento”, declarou.
Leonardo Inocêncio falava durante a cerimónia de encerramento das segundas jornadas técnico-científicas de Enfermagem, realizadas pelo Hospital Josina Machel, que tiveram como lema “A enfermagem e a humanização dos serviços prestados, o desafio do século”. As jornadas recomendaram o respeito dos profissionais da saúde pelos doentes e famílias que buscam assistência médica nas unidades hospitalares.
As jornadas recomendaram ainda aos enfermeiros que devem ter maior cuidado com pacientes que apresentam sequelas de Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC).
A realização contínua de acções de formação e de sensibilização no seio dos profissionais da saúde para que se preste ao paciente um tratamento humano e de qualidade foi também recomendado.
Leonardo Inocêncio anunciou que o Hospital Josina Machel pretende requalificar a estrutura física na área de atendimento de emergência cirúrgica do banco de urgência. As segundas jornadas científicas de Enfermagem, que decorreram entre os dias 12 e 14 de Outubro, contaram com 220 participantes, da província anfitriã, Luanda, de Benguela, Kwanza-Norte, Moxico e Namibe.
No encontro foram abordados temas como “Segurança dos profissionais e pacientes”, “Cuidados de enfermagem ao paciente com úlcera córnea, UTI”, “Humanização no atendimento” e “Ética e qualidade em saúde”.

As terceiras jornadas científicas de enfermagem estão marcadas para Novembro de 2012, sob o lema “Impacto das doenças crónicas não transmissíveis e contribuição da enfermagem para o seu controlo”.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: M. Machangongo

DEIXE UMA RESPOSTA