Reclusos no Kwanza-Sul têm melhores condições

O segundo bloco prisional da Penitenciária do Sumbe, Kwanza-Sul, foi ontem inaugurado pelo vice-ministro do Interior para os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Eugénio Laborinho, que destacou as condições de humanização oferecidas aos detidos.
Após o corte da fita inaugural, o vice-ministro percorreu os compartimentos dos dois pisos do edifício. Em declarações aos jornalistas, o responsável disse que a reabilitação enquadra-se no esforço do Executivo em proporcionar aos reclusos as condições sociais de acomodação e de assistência médica e medicamentosa, no quadro da promoção dos direitos humanos.
“O Executivo tem feito tudo para diminuir a superlotação das cadeias e criar as condições de humanização dos detidos, assim como na sua ocupação em tarefas úteis nos mais diversos ofícios no âmbito dos direitos humanos”, frisou.
O director provincial dos Serviços Prisionais do Kwanza-Sul, Noé Nascimento, considerou que a entrada em funcionamento deste bloco representa uma mais-valia para a instituição por aumentar a sua capacidade de acomodação de presos.
“Nos últimos tempos temos estado a conhecer alguma superlotação e a inauguração deste edifício desanuvia o primeiro bloco. Deste modo, o sistema de internamento está dentro dos parâmetros recomendados pelas Nações Unidas”, realçou.
A cadeia alberga 1.247 detidos. O segundo bloco prisional, de dois pisos, alberga 254 reclusos, sendo 120 no primeiro piso e 134 no segundo.
Em termos de divisões, comporta 124 celas, WC, um refeitório para 160 reclusos, uma cozinha industrial, um pátio multiuso, copa e uma área de visitas para 18 pessoas.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: JA

DEIXE UMA RESPOSTA