Queda de chuvas ultrapassa média

Quando chove na província de Luanda muitas ruas ficam completamente intransitáveis
Quando chove na província de Luanda muitas ruas ficam completamente intransitáveis

As previsões para este ano apontam que, nesta época chuvosa, vai chover em toda a extensão do território angolano com níveis acima da média. A informação vem expressa numa mensagem do ministro angolano do Interior, Sebastião Martins, tornada pública ontem, por ocasião do Dia Internacional para a Redução do Risco de Desastres, que hoje se assinala.
O ministro do Interior frisou que as cheias e inundações são os desastres naturais que mais ocorrem no país, atingindo “numerosas comunidades de Cabinda ao Cunene”. “Os riscos naturais fazem parte da vida e só se transformam em catástrofes quando os seres humanos perdem a vida ou os meios de subsistência”, referiu.
Sebastião Martins reconheceu que, na República de Angola, a grande pressão sobre os centros urbanos tem levado a um crescimento desordenado das cidades, à construção em zonas de risco, em linhas de água e sobre valas de drenagem e depósito de resíduos sólidos em zonas impróprias.
O titular da pasta do Interior sublinhou que a situação torna as comunidades vulneráveis, devido à actividade humana que conduz a um aumento da pobreza, a uma maior densidade populacional nas cidades, à degradação do ambiente e à aceleração das alterações climáticas. Mais de 90 por cento das catástrofes que ocorrem actualmente no mundo estão ligadas à água, algumas vezes por falta dela, outras por excesso, sobretudo nos casos de cheias, aluimentos de terra, ciclones, furacões e tufões, pode ler-se na mensagem.
“Durante a última década, 4.777 desastres naturais fizeram 880 mil mortes, afectaram a vida a 1,88 milhões pessoas e provocaram prejuízos na ordem dos 708 mil milhões de euros”, informa.
O dia internacional para a redução do risco de desastres, segundo o ministro, serve para aumentar a consciencialização das pessoas, de modo a tomarem medidas para reduzir o risco de desastres.
Para este ano, a reflexão é feita em torno do sugestivo lema “O envolvimento de crianças e adolescentes nas tarefas de redução do risco de desastre”.

O Dia Internacional para a Redução de Desastres Naturais foi instituído pela Assembleia-Geral das Nações Unidas. Para celebração da data em Angola, está prevista hoje a realização de palestras e visitas às principais áreas de risco nas províncias de Luanda e Cunene.

 

Rodrigues Cambala

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: JA

DEIXE UMA RESPOSTA