Programas inclusivos no combate à pobreza

Intervenção da secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais durante o encontro das comunidades rurais
Intervenção da secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais durante o encontro das comunidades rurais

A secretária do Presidente da República para os assuntos sociais, Rosa Pacavira, pediu ontem, em Luanda, o contributo das comunidades rurais nos programas de desenvolvimento do Executivo e de combate à fome e a pobreza, para a solução deste problema.
Rosa Pacavira, que falava na cerimónia de abertura do 12º encontro das comunidades promovido pela Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), garantiu que os Programas Municipais Integrados de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, o crédito para o fomento agrícola, potencialização da actividade agropecuária e o programa “Água para todos” constituem prioridades na agenda do Executivo.
A também coordenadora da Comissão Nacional de Luta contra a Fome e a Pobreza afirmou que o Executivo reconhece que, para o êxito de um programa de desenvolvimento, a participação e inclusão das comunidades é indispensável. Rosa Pacavira considera, por isso, que cada um ao seu nível deve dar o seu contributo para melhorar os serviços básicos essenciais a nível dos municípios.
No encontro, que contou com a participação de deputados à Assembleia Nacional, representantes dos ministérios da Economia, Agricultura, Família e Promoção da Mulher, do Instituto Nacional da Criança, da Comissão da União Europeia, do Fundo das Nações Unidas para a Criança (UNICEF) e da Cooperação Espanhola, foram debatidos temas como “A participação das associações de camponeses na implementação da Linha Especial de Crédito Agrícola”, “A participação das associações de camponeses nos conselhos de auscultação e concertação social” e “A participação das mulheres no processo de desenvolvimento local”.
O encontro destinou-se a permitir aos agentes económicos, sociais e comunitários expressarem a sua opinião e contribuírem na concretização das expectativas dos cidadãos mais desfavorecidos.
Rosa Pacavira referiu esperar que a apresentação no fórum das experiências dos municípios da Ganda e do Bailundo sobre o crédito agrícola e sobre a participação das associações na análise dos programas municipais e das mulheres no seu desenvolvimento local, possam ser encorajadores e capazes de proporcionar a sua aplicação em Angola. “O desafio é enorme, pelo que todos nós somos chamados a dar o seu contributo, cada um ao seu nível, para o desenvolvimento do capital humano mas, sobretudo, para a promoção do acesso aos serviços básicos essenciais a nível dos municípios”, sublinhou.
Foram igualmente abordados os Programas Municipais Integrados de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, a Linha de Crédito Agrícola e o Programa de Promoção do Comércio Rural. O encontro, que decorreu sob o lema “Promovendo a participação Social no desenvolvimento local”, teve como objectivo reflectir sobre esta problemática, proporcionar o debate sobre os programas governamentais de apoio ao desenvolvimento local, favorecer a troca de experiências e de boas práticas de desenvolvimento local e outros aspectos ligados à vida das comunidades. Serviu igualmente para destacar experiências dos municípios e da participação das mulheres no processo de desenvolvimento local e das associações de camponeses na implementação da Linha de Crédito Agrícola.

 

Adelina Inácio

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Santos Pedro

DEIXE UMA RESPOSTA