Programa indiano de combate à Sida previne a ocorrência de muitos casos

Os medicamentos contra a doença conseguem prolongar a vida de quem está infectado
Os medicamentos contra a doença conseguem prolongar a vida de quem está infectado

Um programa adoptado em seis Estados indianos, com campanhas de promoção de sexo seguro em alguns grupos específicos evitou, em cinco anos, cem mil infecções por VIH, vírus causador da Sida, revelam estimativas publicadas na revista “The Lancet”.
O projecto, chamado Avahan, foi lançado, em 2003, nos Estados de Andhra Pradesh, Karnataka, Maharashtra, Tamil Nadu, Manipur e Nagaland, graças a doações da Fundação Bill e Melinda Gates.
Aqueles Estados, que juntos têm uma população de 300 milhões de pessoas, tinham, na altura, as maiores prevalências de infecções pelo VIH da Índia. A meta do Avahan foi desenvolver a prevenção entre prostitutas e clientes, homossexuais, utilizadores de drogas injectáveis e motoristas de camiões para impedir que o VIH passasse dos grupos de alto risco para a população em geral.
A táctica inclui aconselhamento da prática de sexo seguro individual, distribuição gratuita de preservativos, substituição de agulhas usadas por esterilizadas, criação de clínicas para tratar doenças sexualmente transmissíveis e assistência dentro das comunidades.
“No total, calcula-se que 100­.178 infecções por VIH tenham sido evitadas na população entre 2003 e 2008 como resultado do projecto Avahan”, salienta o estudo, publicado pela “The Lancet”.  As estimativas provêm da prevalência do VIH em distritos importantes dos seis Estados onde o projecto foi experimentado.

Estratégia direccionada

Em geral, a estratégia direccionada – ao contrário do esforço pulverizado, disseminado na população – foi um êxito e serviu de lição para outros países, afirmaram os autores do projecto.
A prevenção tem sofrido um declínio nos últimos anos devido ao êxito dos anti-retrovirais, que tratam a infecção, mas não a curam.
Especialistas garantem que os medicamentos sozinhos não são suficientes para fazer a pandemia global recuar. À medida que as taxas de infecção aumentam, sobem também os gastos com os remédios, uma vez que têm de ser ingeridos diariamente durante toda a vida.  O projecto Avahan foi lançado numa altura em que a República da  Índia vivia o receio de 25 milhões de pessoas poderem ser infectadas, em 2010, pelo HIV.
Estas projecções acabaram por ser drasticamente reduzidas, pois estimativas de 2009 referem que a Índia tinha 2,4 milhões de pessoas infectadas pelo VIH.
Segundo as autoridades, o projecto Avahan recebeu, de 2003 a 2008, doações da Fundação Gates no valor de 258 milhões de dólares.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: AFP

DEIXE UMA RESPOSTA