PGR refuta informações sobre desfalque de meio milhão USD

João Maira de Sousa
João Maira de Sousa

Luanda – A Procuradoria-Geral da República (PGR) afirmou hoje, em comunicado oficial, que a notícia divulgada pelo semanário Continente sobre o “desfalque de meio milhão de dólares nos cofres” da instituição “é falsa”.

De acordo com o documento, “a PGR não é um banco nem coisa que se pareça, por isso não tem elevadas somas de dinheiro em cofre, muito menos em moeda estrangeira, nem a legislação sobre Finanças Públicas o permite”.

 

A instituição esclarece que ocorreu a 1 de Novembro de 2010 um facto extraordinário nas instalações da Procuradoria, tipificado como furto doméstico e fogo posto, ambos previstos e puníveis pelo Código Penal em vigor, tendo o autor ou autores ateado fogo em papéis que juntaram para o efeito.

“Do referido crime não resultou a abertura nem arrombamento de qualquer cofre. Foram subtraídos fraudulentamente um bloco móvel de três gavetas que continha valores monetários pertencentes a uma determinada responsável do DNAGO, como cinco mil dólares norte-americanos, 600 Euros e cerca de 200 mil kwanzas, documentos e objectos pessoais, bem assim como alguns documentos da PGR”, sublinha a nota a que a Angop teve acesso.

 

O mesmo documento realça que foi instaurado processo-crime, inicialmente contra desconhecidos, tendo-se a determinada altura identificado uma funcionária do Departamento Nacional de Administração e Gestão do Orçamento (DNAGO) da PGR como principal suspeita. Acrescenta que o processo-crime foi remetido ao Tribunal Provincial de Luanda, a 25 de Agosto de 2011, com a arguida presa.

 

A matéria “sobre desfalque de meio milhão de dólares nos cofres da PGR” foi publicada a 14 de Outubro deste ano pelo Semanário Continente.
Fonte: Angop
Fotografia: Rogério Tuti

DEIXE UMA RESPOSTA