Palancas apelam a sorte

Palancas Negras
Palancas Negras

Os Palancas Negras conhecem, este sábado, os adversários e a cidade onde irão disputar a vigésima oitava edição da Taça das Nações Africana, CAN2012.

Malabo, capital da Guiné Equatorial, será o palco do sorteio. Côte d´Ivoire, Ghana e os dois países anfitriões vão encabeçar um grupo cada.

Se os Palancas Negras forem sorteados no grupo da Guiné Equatorial jogam em Malabo. Se for com o Gabão ficam em Libreville. Os outros dois grupos irão ter como cidades sedes, Bata e Franciville respectivamente.

Colocados no pot dois, os Palancas Negras não defrontam na primeira fase a Tunísia, Guiné Conackry e a Zâmbia.

No pot 3 estão as equipas do Burkina-Faso, Mali, Marrocos e Senegal, no quatro as equipas do Botswana, Líbia, Níger e Sudão. Sendo que no primeiro estão as quatro equipas irão ser as cabeça de lista. Com essa disposição das equipas, a Confederação Africana de Futebol evita que os países anfitriões (Gabão e a Guiné-Equatorial) joguem com os principais candidatos ao título.

Podem, no entanto, essas duas equipas jogar ao lado do Marrocos ou Senegal inseridos no pot 3, Tunísia, Zâmbia, Guiné-Conacrky ou Angola, no pot 2. Qualquer uma dessas selecções têm maior experiencia e participações no CAN do que os anfitriões.

Os Palancas Negras terão de rezar para fugir dos tais “grupos da morte”.

Nas últimas cinco participações a equipa nacional esteve sempre exposta aos grandes candidatos ao título. Em 1996, na sua estreia no CAN, Angola foi sorteada no grupo da África do Sul (campeão dessa edição), Camarões e o Egipto.

No Burkina-Faso, Angola jogou ao lado da Côte d´Ivoire, África do Sul e da Namíbia, tendo consentido a sua maior derrota nas fases finais do CAN.

Os Palancas Negras foram derrotados copiosamente por 5-2, pelos ivorienses comandados por Ibrahim Bakayoko e Ahmed Quattara.

Três edições depois, os Palancas Negras voltaram a estar presente na maior cimeira futebolística africana e jogaram, na primeira fase, ao lado dos Camarões, República Democrática do Congo e o Togo. Tal como nas edições anteriores, não passaram da primeira fase.

Dois anos depois, Ghana2008, os Palancas Negras brilharam num grupo tido como da morte, onde estavam as selecções do Senegal, Tunísia e da África do Sul. Os angolanos, orientados à época por Oliveira Gonçalves, chegaram pela primeira vez aos quartos-de-final.

 

Clique para ampliar a imagemRepetiram o mesmo feito, que soube a pouco, em Angola. Colocados no grupo com Mali, Argélia e o Malawi, os angolanos como lhes competia chegaram outra vez aos quartosdefinal mas tiveram o azar de cruzar o caminho do Ghana.

 

Feito as contas, os Palancas Negras já defrontaram todas as equipas que se apresentam nesta edição como candidatos ao título, nomeadamente a Côte d´Ivoire, o Ghana e o Senegal. Na segunda escala dos favoritos, Angola jogou apenas com a Tunísia e Mali. Marrocos e a Zâmbia que fazem igualmente parte deste grupo nunca defrontaram os Palancas Negras.

Sorteio é um exercício que não permite futurologia, excepto dizer que os Palancas Negras vão cruzar com uma dessas equipas: Ghana, Côte d´Ivoire, Gabão ou a Guiné -Equatorial. Poderão ter igualmente como adversários Burkina-Faso, Mali, Marrocos ou Senegal. Ou ainda o Botswana, Líbia, Níger ou Sudão.

Dessas oito equipas sairão os dois adversários e do leque dos cabeçade-listas mais um, totalizando deste modo quatro equipas, cuja sede pode ser em Bata ou Franciville, casos os Palancas Negras sejam colocados no grupo do Ghana ou da Côte d´Ivoire.

Se escapar a esses colossos, os angolanos irão jogar em Malabo ou em Libreville ao lado da Guiné-Equatorial.

Das oito selecções onde sairão duas para constituir o grupo de Angola, apenas o Mali e o Senegal defrontaram alguma vez os Palancas Negras na fase fina do CAN. Os Malianos estiveram no grupo de Angola em 2010, protagonizando um jogo memorável que terminou com um empate a quatro bolas.

Já o Senegal esteve com Angola no CAN do Ghana em 2008, tendo perdido por 3-1, na cidade de Tamale.

Os Palancas Negras também jogaram com o Ghana no CAN2010, em jogo dos quartosde-final, com vitória por uma bola para os Black Stars.

DEZASSETE TÍTULOS AUSENTES

Até soar o apito no dia 21 de Janeiro na cidade de Malabo, a conversa em torno da ausência dos grandes colossos africanos irá dominar as páginas e as emissões das rádios e das televisões do continente. Todas as selecções perfazem 17 dos 27 títulos. O Egipto, como se sabe, tem sete títulos, Camarões quatro, a Nigéria e o Congo Democrático dois, a África do Sul e a Argélia um cada.
Os faraós (ou egípcios) há 28 anos que não assistiam em casa a Taça das Nações Africanas. Já os Leões Indomáveis têm um record de 20 participações consecutivas, os nigerianos 16.

Os argelinos estiveram ausentes já em 2006, os sul-africanos e os congoleses falharam o CAN de 2010, e repetem a ausência.

Teixeira Cândido
Fonte: O País
Foto: O País

DEIXE UMA RESPOSTA