Mulheres do meio rural pedem apoio para aumentarem a produção agrícola

Produtos que não são consumidos acabam por se estragar por falta de escoamento
Produtos que não são consumidos acabam por se estragar por falta de escoamento

As trabalhadoras rurais participantes na jornada comemorativa do Dia Mundial da Mulher Rural, assinalada a 15 de Outubro, pediram ontem, em Quilunda, comuna da Ngangula, município do Sumbe, às autoridades para apoiarem a resolução de problemas ligadas à fome e à pobreza.
Numa mensagem, as mulheres apontaram a falta de incentivos financeiros, de instrumentos de trabalho, moagens e a ausência de redes comerciais que valorizem a produção rural como os principais entraves que dificultam o desenvolvimento das comunidades rurais.
Apesar dos esforços desenvolvidos pelas autoridades, salientam que, nas comunidades, ainda prevalecem dificuldades de vária ordem, cujas consequências incidem mais sobre as mulheres, pelo facto de serem as mais frágeis.
Para além da insuficiência de apoios para o aumento da produção, as mulheres enfrentam outras dificuldades, que se prendem com a falta de assistência materno-infantil e de escolas para que as crianças do meio rural tenham oportunidades de uma formação integral”, lê-se na mensagem.
A jornada, decorrida sob o lema “Investir na mulher rural para desenvolver as suas comunidades”, foi encerrada pela administradora municipal adjunta do Sumbe, que realçou a importância da mulher rural no desenvolvimento das comunidades. Elsa dos Santos Lialunga afirmou que a IV Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a mulher rural, realizada de 4 a 15 de Setembro, em Pequim, na China, abriu caminho para o reconhecimento do papel fundamental que a mulher desempenha na produção, gestão e utilização dos alimentos e recursos naturais.
Quanto aos apoios, a administradora adjunta lançou um apelo no sentido das mulheres tratarem documentos, como o Bilhete de Identidade, e integrarem-se nas associações e cooperativas, com vista a conseguirem incentivos, quer através dos bancos comerciais, quer dos programas específicos.
A responsável apelou às mulheres para efectuarem o seu registo de nascimento e o dos seus filhos, a fim de possuírem documentos que as habilitem a obter microcrédito, ao mesmo tempo que incentivou a participação massiva das mulheres no processo de actualização do registo eleitoral, em curso no país.

Em relação à violência doméstica, apelou para a denúncia dos actos que violem os direitos das pessoas, dentro das famílias.
A responsável acrescentou que, fruto do desempenho protagonizado pelas federações internacionais de produtores agrícolas, a Cimeira Mundial e das Mulheres Rurais institucionalizou, a 15 de Outubro de 1996, o Dia da Mulher Rural.
A jornada compreendeu, igualmente, a exposição dos produtos locais, como prova das potencialidades da agricultura familiar.
O Dia Mundial da Mulher Rural foi criado para consciencializar a opinião pública mundial acerca do papel da mulher do campo, no fortalecimento das sociedades, da economia no geral e das famílias, em particular.
As estatísticas mundiais apontam as mulheres como produtoras de 80 por cento dos alimentos básicos, sobretudo em África, Ásia e na América do Sul, enquanto nos países industrializados, 30 por cento das mulheres asseguram os trabalhos agrícolas.

 

Casimiro José | Sumbe

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Fernando Camilo

DEIXE UMA RESPOSTA