Morre refém francesa sequestrada no Quênia

Marie Dedieu foi sequestrada na ilha de Manda, no Quênia, no início de outubro.
Marie Dedieu foi sequestrada na ilha de Manda, no Quênia, no início de outubro.

O ministério francês das Relações Exteriores anunciou nesta quarta-feira a morte de Marie Dedieu, uma francesa de 66 anos sequestrada no Quênia no início do mês e detida por extremistas na Somália. A refém, que era deficiente física, sofria de um câncer, mas as causas de sua morte ainda não foram confirmadas.

A sexagenária foi sequestrada no dia 1° de outubro, provavelmente por extremistas somális do grupo al-Shahab, ligado à rede terrorista Al-Qaeda. Marie Dedieu morava no Quênia há vários anos, tinha a saúde frágil e se locomovia em cadeira de rodas devido a um acidente.

As autoridades francesas não sabem quando nem em que condições a refém faleceu, mas a morte foi confirmada por contatos do governo francês na região.O presidente Nicolas Sarkozy se disse “muito emocionado” com a notícia. A diplomacia francesa já pediu a restituição do corpo da vítima.

O exército queniano anunciou hoje ter reforçado suas posições ao lado das tropas somális que combatem o grupo insurgente al-Shahab, no sul da Somália. Os bombardeios intensos das forças quenianas, nos últimos dias, teriam obrigado os extremistas a fugir da região.

O governo do Quênia diz estar determinado a acabar com o movimento rebelde islâmico na fronteira, apontado como autor de uma onda de sequestros de europeus.

 

Adriana Moysés

Fonte: RFI

Foto: Reuters/Handout

DEIXE UMA RESPOSTA