Missão de paz na Somália sofreu baixas em combate

Apesar das perdas o moral das Forças Armadas no terreno continua muito satisfatório
Apesar das perdas o moral das Forças Armadas no terreno continua muito satisfatório

O contingente do Burundi da Missão Africana de Manutenção da Paz na Somália (AMISOM) sofreu dez baixas em combate e 16 militares ficaram feridos em confrontos esta semana contra os insurrectos islamitas de El Shebaab em Mogadíscio, a capital somali, anunciou um porta-voz do Exército.
O balanço provisório anunciado, na véspera, indicava que seis soldados da AMISOM foram mortos e 18 outros feridos, mas foram registadas quatro novas mortes, afirmou sábado em entrevista à PANA o porta-voz da Força de Defesa Nacional e Antigos Combatentes do Burundi, coronel Gaspard Baratuza.
O Exércitodo Burundi intervém na Somália no quadro da AMISOM desde 2007 com um efectivo de quatro batalhões que já perderam 30 soldados. Apesar das novas perdas, o porta-voz da Força de Defesa Nacional e Antigos Combatentes afirmou que o moral das tropas continua “muito bom” e os êxitos militares são “consideráveis”.
As tropas do Burundi e do Uganda apoiam o Exército governamental somali e já reconquistaram aos insurrectos islamitas mais de 95 por cento de Mogadíscio.
Um novo batalhão de soldados do Burundi recebeu, na quinta-feira passada, certificados de fim de formação em manutenção da paz com a ajuda de especialistas militares franceses e devem reforçar a AMISOM em breve.
Os vários governos envolvidos na contenção das investidas dos rebeldes na Somália mantêm-se prontos para continuarem o compromisso com as Nações Unidas (ONU) e União Africana (UA).
Nos últimos tempos os países prometeram reforçar os seus efectivos e enviar mais material necessário aquele país do Corno de África para aguentar a missão até que tudo fique superado e encaminhado.

 

Fonte: Jornal de Angola

Foto: AFP

DEIXE UMA RESPOSTA