Milhares de pessoas bebem água potável

Novo sistema de abastecimento beneficiou milhares de famílias na província
Novo sistema de abastecimento beneficiou milhares de famílias na província

O abastecimento de água potável às populações da província da Lunda-Norte atingiu níveis de cobertura satisfatórios este ano, com a entrada em funcionamento dos novos sistemas de captação construídos em sedes municipais e comunais da região, disse na cidade do Dundo, o governador provincial.
Ernesto Muangala, que falava durante o balanço dos programas de combate à pobreza, esclareceu que no âmbito do Programas Água para Todos, estão em curso a construção de 14 novos sistemas de captação de água.
O governador da Lunda-Norte, Ernesto Muangala,  reafirmou que os seis sistemas já concluídos permitiram abastecer 151.870 mil habitantes, com uma taxa de cobertura na ordem dos 70 por cento, sobretudo nos municípios do Chitato, Lucapa, Cambulo e Cuango.
Com vista a minimizar o sofrimento das populações locais que, até agora, percorriam longas distâncias para se abastecerem, o governador garantiu que as autoridades locais estão empenhadas em garantir a toda a população o acesso à água potável.
Até 2012, disse, está previsto o  alargamento da  rede de distribuição de água potável, em todas as zonas com maior aglomeração populacional, com vista a reduzir o elevado índice de doenças provocadas pelo consumo de água dos rios.

Ernesto Muangala assegurou também que todos os novos sistemas de captação de água em construção na província, estão a ser dotados de capacidade suficiente, através de um sistema de canalização moderna para permitir que os níveis de abastecimento sejam aceitáveis, de acordo com os investimentos que estão a ser feitos pelo Executivo.
“O abastecimento de agua potável às nossas populações, constitui um dos eixos fundamentais dos programas de combate à pobreza por isso, estamos a fazer esforços para que até 2012 tenhamos uma taxa de cobertura mais aceitável “, precisou.

Grande velocidade

Ernesto Muangala manifestou a sua satisfação pela forma como as administrações municipais estão a executar os Programas Integrados de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, através da construção e surgimento de novas infra-estruturas.
Muitos projectos avançam a grande velocidade mas outros registam atrasos. O governador da Lunda-Norte realçou a importância do Programa Água para Todos, a merenda escolar, o crédito agrícola de campanha e a municipalização dos serviços de saúde, como sendo importantes para a melhoria significativa das condições de vida das populações, mas lembrou que a insuficiência de recursos financeiros, a degradação de algumas vias de acesso e a falta de pontes tem criado embaraços na implantação de alguns projectos.
Uma das preocupações também apontadas pelo governador tem a ver com a falta de dinamismo do sector empresarial local e da ausência de repartições fiscais de Fianças e de agências bancárias em vários municípios. Salientou ainda a necessidade de balcões de emissão do Bilhete de Identidade, em todos os municípios da Lunda-Norte.
Ernesto Muangala anunciou que o governo vai fazer um esforço suplementar para acelerar os projectos de estancamento das ravinas e fornecimento de energia eléctrica às populações.

Fiscalização das obras

Os participantes no fórum de avaliação dos Programas Municipais Integrados de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza defenderam a necessidade das autoridades governamentais reforçarem a fiscalização da execução física e financeira de todos os projectos em curso.
Os participantes concluíram que os níveis de execução das obras e dos orçamentos das 204 acções programadas para este ano, em todos os municípios da província, foram satisfatórios, tendo em conta que desse número 72 estão concluídas e as restantes estão ainda em curso.
O fórum defendeu ainda a necessidade das Administrações Municipais prevenirem a proliferação de pequenas aldeias e criarem mecanismos para unificar os diferentes bairros, com vista a permitir que os programas sociais beneficiem o maior número de pessoas.
A melhoria da dieta alimentar no quadro do programa de merenda escolar, a elevação das comunas a unidades orçamentadas e a mobilização da classe empresarial para se aliar aos esforços do governo no desenvolvimento das comunidades rurais, foram analisados e discutidos elos participantes.
O fórum decorreu no Cine Uhenha, da Endiama. Além do coordenador da Unidade Técnica Provincial dos Programas de Combate à Pobreza, estiveram presentes os administradores municipais, membros da sociedade civil, do Conselho de Concertação e Auscultação Social, líderes religiosos e autoridades tradicionais.

 

ARMANDO SAPALO | Dundo

Fonte: Jornal de Angola

Foto: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA