Migração expande serviços

Ministro do Interior durante a inauguração dos escritórios do SME na baixa de Luanda
Ministro do Interior durante a inauguração dos escritórios do SME na baixa de Luanda

O Serviço de Migração e Estrangeiro (SME) vai, em breve, abrir repartições em vários países para permitir, entre outras coisas, que os angolanos espalhados pelo mundo possam adquirir o passaporte, anunciou, ontem o seu director-geral.
Freitas Neto afirmou que, entre as repartições a instalar estão a de Lisboa, para a Europa e Norte de África, a da África do Sul, para a SADC, e a de São Paulo, para o continente americano.
O anúncio foi feito na abertura de um posto da SME, na rua Rainha Ginga, no prédio da Sonangol, durante a qual foi dito que se está a trabalhar para as repartições serem abertas em breve.
O novo posto em Luanda tem a capacidade para atender 16 pessoas, ao mesmo tempo, e emitir 400 passaportes por dia.
A intenção, disse Freitas Neto, é tornar o processo célere para que o utente tenha em tempo útil aquilo que requerer aos nossos serviços.
“Vamos espalhar os nossos balcões pela cidade de Luanda para tornar o processo mais célere, de maneira a que as pessoas tenham uma resposta imediata àquilo que nos for requerido”, declarou.
Freitas Neto revelou também que consta do programa do SME a extensão destes serviços a todas as províncias.


Dinamização dos serviços

O ministro do Interior garantiu que se vai continuar a trabalhar para dinamizar e melhorar a actuação dos Serviços de Migração Estrangeiros. Sebastião Martins, que falava na mesma cerimónia, afirmou que o desafio é procurar a excelência e fazer com que os serviços correspondam às preocupações que a sociedade coloca em relação a esta actividade.
O novo posto de Luanda é uma experiência para desconcentração e descentralização da actividade que o Serviço de Migração e Estrangeiros desenvolve, em particular para os estrangeiros.
“Agora não é preciso o movimento físico dos processos deste posto para a sede e vice-versa. Todos os processos são tratados a partir daqui, o que significa menos burocracia e maior rapidez nos actos”, afiançou.
A redução da burocracia, disse, é uma maneira do sector se associar à forma como as áreas económicas e petrolíferas se desenvolvem e contribuir para uma maior qualidade, eficiência e eficácia funcional dos serviços.
Além de pessoal ligado ao ramo petrolífero, (nacional ou estrangeiro, o novo posto vai atender os que queiram renovar vistos.
“A SONANGOL tem sido um parceiro privilegiado nas acções do SME para a melhoria e criação de condições para um atendimento de excelência e das comunidades estrangeiras, principalmente as que estão ligadas à actividade produtiva”, disse o ministro Sebastião Martins, a propósito da escolha do local do novo posto.
O ministro Sebastião Martins salientou que, pela dinâmica e importância estratégica para o Estado, o sector petrolífero merece a atenção especial do Ministério do Interior.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Santos Pedro

DEIXE UMA RESPOSTA