Maria Luísa Abrantes regressa à ANIP

A Economista Maria Luísa Abrantes
A Economista Maria Luisa Abrantes

A economista Maria Luisa Abrantes estreia-se na função de Presidente do Conselho de Administração da Agencia Nacional de Investimento Privado, uma decisão saida da última sessão do Conselho de Ministros, em que foram indicados os membros de conselhos de direcção de algumas empresas publicas.

A Agencia Nacional de Investimento Privado, até à indicação da PCA, era coordenada por Aguinaldo Jaime, que esteve em frente daquela instituição por mais de dois anos, com a primordial missão de captação do investimento estrangeiro.

Maria Luisa Abrantes, quadro sénior da ANIP, já dirigiu a agencia quando detinha uma outra designação, e foi igualmente a sua representante em Washington, capital dos Estados Unidos da America.

Integram o novo elenco da ANIP, Edeltrudes Gaspar da Costa, que teve passagem pelo elenco governativo onde exerceu o cargo de viceministro da Administração do Território, bem como Paulo Colombo Ringote.

Outras mudanças

A sessão do Conselho de Ministros, órgão de consulta do Presidente da República, aprovou ainda a indicação dos novos conselhos de administração dos bancos BPC, BCI, ANGOLA-TELECOM e da EPAL. Quanto ao Banco de Poupança e Crédito, Paixão Júnior viu mais uma vez o seu mandato renovado.

Passam a integrar ainda o Conselho de Administração do referido bancao, os administradores Maria de Fátima Silveira, João António Freire, Rosa Correia Victor e Rosário Simão Jacinto. No Banco de Comércio e Indústria (BCI), o anterior presidente do Conselho de Administração Adriano Rafael Pascoal, não teve sorte idêntica, e o seu mandato não foi renovado, sendo rendido por Filomeno da Costa Alegre de Ceitas.

O ex-vice ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto Bragança, o antigo quadro do Banco Nacional de Angola, Jorge Leão Peres, bem como Maria Corte Real Bernardo e João Freire dos Santos integram o novo elenco administrativo do BCI.

Para o Conselho de Administração da ANGOLA-TELECOM-EP foram indicados quatro administradores, sendo dois executivos e igual número com funções não executivas. No que toca aos administradores executivos as vagas foram providas por Manuel António e Naiole dos Santos.

As nomeações dos não-executivos recaíram em António Luís Brandão, que durante muitos anos foi o ministro dos Transportes, e Pedro Miguel.

Por último, para integrar o Conselho de Administração da EPAL foi indicado o administrador António João Canito, tratando-se, na verdade, de uma alteração pontual na estrutura administrativa daquela empresa publica.

 

Valdimiro Dias

Fonte: O Pais

Fotografia: O Pais

 

DEIXE UMA RESPOSTA