Mais recursos para produção

Secretário de Estado da Energia
Secretário de Estado da Energia

O secretário de Estado da Energia garantiu, no domingo, que o Executivo está a fazer um grande investimento na produção, transporte e distribuição de energia para melhorar o sistema de fornecimento de electricidade. João Borges, que falava no programa “Espaço Público”, da Televisão Pública de Angola e da Rádio Nacional de Angola, afirmou que nem todos os problemas que se registam na distribuição de energia estão relacionados com a capacidade de produção, mas com o mau estado da rede de transporte e de distribuição.
“O país tem parte da rede de transporte de distribuição de energia em estado obsoleto ou destruída por várias causas, como guerra e a antiguidade das linhas, o que dificulta um melhor fornecimento energético a algumas regiões do país”, frisou.
O secretário de Estado da Energia, João Baptista Borges, prometeu que a Lunda-Norte, a Lunda-Sul e o Moxico vão merecer maior atenção do Executivo em termos de investimentos no sector, com a construção de centros de produção de energia, a recuperação da barragem do Luachimo e o aproveitamento hidroeléctrico de Chicapa.
João Borges afiançou que a reabilitação destes centros e a construção de outros vão permitir aumentar a qualidade do produto fornecido aos consumidores e as condições de transporte  O país, disse, não exporta energia eléctrica para a Namíbia, o que existe é a partilha de exploração do rio Cunene, onde aquele país fez um investimento na construção da barragem de Ruacaná. “Angola não exporta energia, pelo contrário algumas regiões do país, na zona fronteiriça, beneficiam da proveniente da Namíbia”, afirmou o secretário de Estado.

Barragem da Matala

As obras de reabilitação da barragem hidroeléctrica da Matala, na Huíla, estão concluídas em 2013, anunciou João Borges.  A barragem, referiu, apresentava alguns problemas, principalmente na sua parte física, já danificada, o que punha em causa a segurança da própria infra-estrutura.
A barragem da Matala, construída sobre o rio Cunene, está a funcionar, mas produz energia abaixo da capacidade instalada devido a problemas na sua parte física, disse, acentuando que está a ser feito um esforço para a sua recuperação e manutenção.

Kuando-Kubango com novos projectos

A província do Kuando-Kubango pode contar até Agosto do próximo ano, com três novos projectos de abastecimento de energia eléctrica a partir de centrais térmicas, anunciou domingo, em Luanda, o secretário de Estado da Energia, João Baptista Borges.  De acordo com João Baptista Borges, uma das centrais, com capacidade de seis megawatts, vai atender cerca de 2.500 clientes em Menongue. Uma outra central deve atender os munícipes do Cuito Cuanavale.

Energia em Luanda

A Empresa de Distribuição de Electricidade de Luanda recebe actualmente apenas 350 megawatts, insuficientes para atender a demanda dos consumidores da capital, segundo o presidente do conselho de administração daquela instituição, José Manuel.  Falando no programa “Espaço Público” da TPA, José Manuel disse ser esta a principal razão da restrição que se regista em Luanda. Para atender Luanda, de acordo com o responsável, são necessários 528 megawatts. Informou que tal situação se mantem enquanto decorrer a manutenção nas barragens de Cambambe e Capanda.

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: JA

DEIXE UMA RESPOSTA