Luanda ganha asas com novo aeroporto

Presidente da República quando recebia explicações da empreiteira sobre a evolução das obras do novo aeroporto internacional de Luanda
Presidente da República quando recebia explicações da empreiteira sobre a evolução das obras do novo aeroporto internacional de Luanda

O novo aeroporto de Luanda fica concluído dentro de dois anos e vai ter um fluxo de 15 milhões de passageiros e 600 mil toneladas de carga por ano. É uma infra-estrutura vital para o desenvolvimento de Angola e da região austral.
O ministro afirmou que em finais de Agosto do próximo ano é inaugurada a primeira fase, com a conclusão do edifício da administração aeronáutica, terminal VIP, área dos bombeiros, zona de voos norte, edifício do terminal principal e torre de controlo.
Localizado a 40 quilómetros de Luanda, numa área de 1.324 hectares, o novo aeroporto vai ter duas pistas duplas, com capacidade para aterragem do maior avião comercial do mundo, o Airbus A380. O empreendimento vai ter nos seus terminais 31 mangas, sendo 20 para a área internacional e 11 na área dos voos domésticos. A área da placa de estacionamento dos aviões vai ter 582 mil metros quadrados e a área para manobra dos aviões 5.125 metros quadrados.
A construção do novo aeroporto internacional foi decidida em 2008, para responder ao crescimento do país e porque o Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, o maior do país, já não respondia à procura.
No Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro operam regularmente 14 companhias aéreas e tem um movimento superior a um milhão de passageiros por ano. O novo aeroporto de Luanda vai transformar-se numa placa giratória para os voos na região da África Austral, à semelhança de Joanesburgo, na África do Sul. A empresa chinesa CIF Aeroporto Construction está a erguer actualmente os terminais, as bases para construção da torre de controlo e a realizar os trabalhos de compactação das duas pistas norte e sul.
O ministro dos Transportes afirmou que o novo aeroporto dá resposta à missão fundamental do sector, que é desenvolver e e valorizar a posição estratégica. De Angola
“Um dos objectivos é transformar o novo aeroporto numa grande placa giratória na África Austral, por estar bem localizado e ser o maior aeroporto da região e do continente”, disse o ministro. “Angola é um grande corredor aéreo internacional, bem localizado do ponto de vista estratégico”, disse Augusto Tomás. Com investimentos no sector aéreo, marítimo portuário e ferroviário, o país vai ter infra-estruturas fundamentais para relançar a indústria, agricultura, pecuária, pescas, turismo e serviços.

Terminais marítimos

O ministro dos Transportes anunciou, igualmente, a construção, num período de dez meses, de seis de um total de oito terminais marítimos projectados para a província de Luanda. Os empreendimentos vão estar localizados na zona do Museu da Escravatura, Macoco, Mussulo, Benfica e Chicala, Porto de Luanda, Cacuaco e Panguila.
Os terminais vão ter uma capacidade de atendimento de 800 passageiros hora. “Temos um litoral largo que não é aproveitado e pode ser utilizado para ser também uma via para ajudar a transportar as populações do norte e sul de Luanda”, disse o ministro à imprensa, durante a visita do Presidente da República às obras do aeroporto internacional de Luanda, no Bom Jesus.
O ministro disse ainda que está em avaliação a construção de uma segunda linha ferroviária entre Luanda e Viana, que por sua vez vai estar combinada com a ligação rodoviária, entre Estalagem/Viana, Campus Universitário/Cidade do Kilamba, Morro Bento/Benfica e Corimba.

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Rogério Tuti

1 COMENTÁRIO

  1. Desde 2004 que se começou a construir esse aeroporto, até agora nunca fica pronto?
    O que se passa com vocês? De lá para cá quantos Orçamentos o Estado teve de aprovar para se concluir essa primeira parte.
    Porras é o cúmulo.

DEIXE UMA RESPOSTA