Inserção da mulher rural satisfaz autoridades locais

Durante a palestra foram também abordados temas ligados à violência doméstica
Durante a palestra foram também abordados temas ligados à violência doméstica

A chefe do departamento da política familiar do Ministério da Família e Promoção da Mulher, na Lunda-Norte, Tina Cassamuca, reconheceu, no fim-de-semana, no Dundo, os progressos na execução do programa de inserção da mulher rural na sociedade.
Tina Cassamuca falava na palestra sobre o resgate dos valores morais, cívicos e patrióticos, a violência doméstica e o analfabetismo, destinada às mulheres rurais agrupadas em associações de camponeses, da área agrícola do Daweji.
A criação nas comunidades dos serviços de educação, saúde e a promoção da actividade agrícola e pecuária, capaz de gerar pequenos negócios, foi outro aspecto ressaltado pela oradora.
Falando num acto alusivo aos dias mundiais da mulher rural, alimentação e combate à pobreza, que se assinalam este mês, aquela responsável referiu que “a mulher da província da Lunda-Norte, que vive no campo, apesar de algumas dificuldades, como a falta de postos médicos, escolas primárias, instrumentos de produção e microcrédito, continuam empenhadas na sua auto-superação”.
Realçou a participação das mulheres no processo de alfabetização, para poderem “enfrentar melhor” os desafios que o desenvolvimento das comunidades impõe.
Tina Cassamuca afirmou, durante a palestra, que no meio rural foram notificados poucos casos de violência doméstica, como resultado do contínuo trabalho de educação e sensibilização feito pela direcção da Família e Promoção da Mulher junto das comunidades.
As abordagens sobre o resgate dos valores morais e cívicos visam incutir na mulher camponesa a fidelidade, amor ao próximo, respeito mútuo, sentimento patriótico, espírito de unidade nacional e a consolidação da paz e reconstrução do país, para o bem-estar de todos os angolanos, disse Tina Cassamuca.Além de palestras, a jornada dos dias da mulher rural, alimentação e combate à fome contempla, igualmente, a entrega de kits às parteiras tradicionais, compostos por batas, luvas, lençóis, tesouras, entre outros instrumentos.

João Silva | Dundo

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

 

DEIXE UMA RESPOSTA