Governo colombiano oferece recompensas por informações sobre os líderes rebeldes

Forças governamentais procuram acabar com os cabecilhas da rebelião no país
Forças governamentais procuram acabar com os cabecilhas da rebelião no país

O Governo da Colômbia anunciou ontem que oferece recompensas até 1,9 milhões de dólares norte-americanos por informações que conduzam à captura de cinco chefes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).
O anúncio foi feito pelo ministro colombiano da Defesa, Juan Carlos Pinzón, que visitou a aldeia de Tarazá, no estado de Antioquia, no noroeste do país, onde os agricultores realizaram uma greve de 11 dias, levantada na sexta-feira, em protesto contra as pulverizações aéreas contra as plantações de cocaínanas fazendas.
O Governo colombiano tem insistido que os agricultores têm sido pressionados pelas FARC (rebeldes),a participar em protestos que resultaram em seis feridos e em três camiões queimados.
De acordo com Juan Carlos Pinzón, por “Isaías Trujillo”, comandante do bloco noroeste da guerrilha, Bogotá oferece 643 mil dólares. As autoridades colombianas consideram que este rebelde, há 40 anos nas fileiras das FARC, é um dos homens “emblemáticos” dentro da estrutura, a par com Alfredo Alarcón, conhecido por “Román Ruiz”, por quem se oferece a mesma quantia.
Pelos líderes Jhoverman Sánchez, ou “el Manteco”, Diego Antonio Mesa “Anderson”ou “Carranza”, e Luis Carlos Durango, também conhecido por “Jacobo Arango”,o governo oferece 211 mil dólares americanos.
Por outro lado, o empresário Julio Mário Santo mDomingos, um dos hpmens mais ricos do mundo, segundo a revista Forbes, morreu aos 87 anos, na cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, anunciaram as suas empresas em Bogotá.
“lamentamos muito a sua mortee mandamos condolências a todos os funcinários das diversas empresas do Grupo Santo Domingos”, disse o presidente colombiano, Juan Manuel Santos na cidade de Cartagenas das Índias. Foi pioneiro da aviação colombiana.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: AFP

DEIXE UMA RESPOSTA