Ler Agora:
Feira Constrói Angola abre as portas
Artigo completo 3 minutos de leitura

Feira Constrói Angola abre as portas

Ministro do Urbanismo e Construção quando discursava na cerimónia de abertura da Projeckta by Constrói Angola 2011

A nona edição da Projekta by Constrói Angola abriu ontem as portas ao público, com um novo conceito e a proposta de novos produtos e serviços para o ramo da arquitectura, indústria e construção civil.
Ao contrário do ano passado, em que 300 empresas nacionais e estrangeiras participaram no certame, este ano 362 preenchem dois pavilhões e o espaço exterior das instalações da Filda. A nona edição da feira, que decorre de 27 a 30 do mês em curso, sob o lema “Construção e Desenvolvimento em Angola”, propõe um novo formato para as áreas de planeamento, gestão urbanística e arquitectura.
O ministro do Urbanismo e Construção, Fernando da Fonseca, pediu aos empresários a criação de oportunidades de emprego para os jovens no sector da construção civil. Discursando na abertura da feira, salientou que esta representa uma oportunidade para troca de conhecimentos e experiências sobre as novas tendências do mercado de construção civil. Aos profissionais da indústria e construção, pediu que formem os seus quadros para garantir um mercado cada vez mais qualificado.
O vice-governador de Luanda para a área económica, Miguel Catraio, considerou a iniciativa da Filda como um espaço que garante o crescimento do país em todos sectores da economia. “O nosso país está em fase de construção e reconstrução, por isso, acreditamos que estamos diante de múltiplas oportunidades. Que nesta feira as empresas e visitantes possam oferecer novos produtos e serviços no mercado”, disse.
O director da empresa Arena Direct, Bruno Albernaz, que promove o certame, afirmou que a crescente participação das empresas demonstra, de forma clara, o forte crescimento da feira ao longo das suas edições.
“A feira vai, de facto, mostrar as novas tendências do mercado e a sua contribuição para o desenvolvimento de centros habitacionais”, realçou.
A edição deste ano conta com a participação da África do Sul, Alemanha, Brasil, Turquia, Paquistão e Portugal. As empresas portuguesas, como é habitual, garantem a maior presença, com a participação de 60 empresas da área da segurança, energias renováveis e imobiliário.

O embaixador de Portugal em Angola, Francisco Ribeiro Telles, disse ao Jornal de Angola que o caminho de Angola e Portugal consiste nas parcerias.
Na sua opinião, as relações têm crescido de forma significativa nos dois sentidos. Mesmo com a crise que se regista em Portugal, Ribeiro Telles considera positivo o aumento do volume de negócios que se verifica a nível das empresas. “Vejo com bastante optimismo o interesse das empresas angolanas em Portugal. Criou-se um ciclo de reciprocidade que é positivo”, acentuou. Em relação à feira Constrói Angola, o diplomata português considerou crucial para a troca de parcerias entre as empresas dos dois países no ramo da construção civil. Para a nona edição da Constrói Angola está prevista a realização das jornadas e conferências sobre “Habitação – da necessidade à qualidade” e “Infra-estruturas geram novos negócios”.

Natacha Roberto

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Dombele Bernardo

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »