Falta de lavagem habitual das mãos é responsável por doenças diarreicas

Lavar as mãos antes de comer e depois de ir ao quarto de banho pode evitar doenças
Lavar as mãos antes de comer e depois de ir ao quarto de banho pode evitar doenças

A falta de lavagem das mãos é responsável, anualmente, em Angola, por 18 por cento do surgimento de doenças diarreicas e insuficiências respiratórias, afirmou, ontem, à Angop, o representante do Fundo das Nações para a Infância (UNICEF).
Koenraand Vanormelingen referiu que, no mundo, mais de um milhão de crianças, na ordem de três mil por dia, morrem todos os anos, como resultado da diarreia.
Lavar as mãos antes de comer e depois de usar a casa de banho, lembrou, é um gesto simples que pode contribuir para salvar vidas.
A lavagem das mãos, insistiu, pode ajudar, de maneira significativa, a reduzir a mortalidade e a má nutrição infanto-juvenil.
O representante da UNICEF revelou que há estudos que demonstram que lavar as mãos com água e sabão pode reduzir a incidência da diarreia em 40 por cento e as infecções respiratórias até perto de 20 por cento.
Dados do recente Inquérito de Bem-Estar da População (IBEP) mostram que 36 por cento da população lava regularmente as mãos antes de comer e depois de usar a casa de banho. Mas isto ainda é muito pouco, tendo em conta os benefícios da lavagem das mãos.
Angola celebra, desde 2008, em 15 de Outubro, o Dia Mundial da Lavagem das Mãos com Água e Sabão, com a realização de actos simbólicos em simultâneo em todo o país.

A campanha de lavagem das mãos com água e sabão dirige-se prioritariamente às crianças por serem elas os agentes efectivos para a mudança de hábitos.
A lavagem das mãos é uma medida simples mas bastante eficaz que pode reduzir a contracção de doenças. Isso tanto em casa como nos centros hospitalares.
A Organização Mundial da Saúde recomenda usar a quantidade de sabão suficiente para que a espuma cubra toda a superfície das mãos.
Recomenda igualmente caprichar na limpeza dos espaços entre os dedos das mãos, dado o risco de lá se alojarem preferencialmente os germes.
A instituição internacional que vela pela saúde aconselha também as pessoas a utilizarem, nas casas de banho públicas, toalhas de papel para fechar as torneiras.
As medidas combinadas podem salvar muitas vidas, sobretudo de crianças,  que são  tentadas a levar as mãos à boca e aos olhos, órgãos que são considerados as principais vias de infecção.

 

 

Fonte: Jornal de angola

Fotografia: Nuno Flash

DEIXE UMA RESPOSTA