Europeus chegam a um acordo sobre a recapitalização dos bancos

Premiê polonês, Donald Tusk, anuncia acordo sobre a recapitalização dos bancos europeus.
Premiê polonês, Donald Tusk, anuncia acordo sobre a recapitalização dos bancos europeus.

Os chefes de governo e de Estado dos 27 membros da União Europeia chegaram a um primeiro acordo sobre a recapitalização dos bancos nesta quarta-feira em Bruxelas. Em seguida, os líderes dos 17 países da zona do euro também se disseram dispostos a aumentar a capacidade do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), mas não deram detalhes concretos sobre a medida.

“Nós chegamos a um acordo sobre a recapitalização, que é um dos principais objetivos da cúpula”, declarou o primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, logo após a reunião dos líderes da União Européia em Bruxelas. No entanto, o premiê não deu detalhes sobre o montante total esperado para essa operação. A única informação concreta foi a intenção de elevar a 9% os fundos próprios dos bancos, uma meta que deve ser alcançada até junho de 2012.

O valor da recapitalização dependerá do nível da dívida grega que poderia ser perdoada pelos bancos, tema que ainda faz parte das negociações dos responsáveis europeus. Mas segundo o primeiro-ministro romeno Traian Basescu, o valor definido deve ser o suficiente para tranqüilizar os mercados durante os primeiros seis ou sete meses. “E se precisarmos de montantes superiores, nós negociaremos novamente mais tarde”, disse ele.

Em seguida, os líderes dos 17 países da zona do euro se reuniram para discutir a situação dos membros do bloco, principalmente a Itália e a Grécia, além da evolução do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira. Os dirigentes da região confirmaram mais uma vez estarem dispostos a ampliar o fundo de ajuda, mas preferiram não avançar nenhuma cifra.

Segundo fontes diplomáticas, atualmente o FEEF pode emprestar aos países em dificuldades 440 bilhões de euros. Mas Paris e Berlin concordam que a capacidade do fundo poderia ser quatro vezes maior.

 

Silvano Mendes

Fonte: RFI

Foto: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA