Entrada em vigor do acordo facilita a concessão de vistos

Embaixador de Portugal em Angola
Embaixador de Portugal em Angola

O embaixador de Portugal em Angola, Francisco Ribeiro Teles, assegurou ontem, em Luanda, que o consulado do seu país está já a aplicar o acordo de facilitação de emissão de vistos, assinado em Setembro deste ano.
Francisco Ribeiro Teles garantiu que os processos estão mais céleres e menos burocráticos. “Aqui, em Angola, temos todas as condições criadas para facilitar a ida de angolanos a Portugal”, afirmou o diplomata português, para quem o essencial do protocolo está a ser implementado há algum tempo.
Com as facilidades fica simplificado todo o processo inerente à concessão de vistos de curta duração e de trabalho. Há á possibilidade de múltiplas entradas, aumenta o período de permanência e o prazo de validade dos vistos.
Na mesma lógica, estabeleceram-se prazos mais curtos para a obtenção e prorrogação de vistos. O diplomata português afirma que os empresários angolanos e portugueses também saem a ganhar, na medida em que a facilitação garante maior fluidez dos negócios.
Francisco Ribeiro Teles sublinhou ainda que com a entrada em vigor do Protocolo acabam-se as longas filas defronte da embaixada, salientando que actualmente o cidadão já pode obter o visto via Internet.
O diplomata considera ser “bastante forte” o relacionamento actual entre os dois países a nível político, económico, financeiro, social e de lazer, admitindo que cerca de 8 mil pessoas circulam semanalmente entre Luanda e Lisboa.
O protocolo de facilitação de vistos entre Portugal e Angola foi assinado no dia 15 de Setembro deste ano, na capital lusa, pelos ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros de Portugal, e angolano das Relações Exteriores.

Benefícios mútuos

Apesar de só ontem ter entrado em vigor o protocolo de facilitação de emissão de vistos entre Portugal e Angola, alguns cidadãos angolanos abordados afirmaram, ao Jornal de Angola, que já sentem os benefícios da aplicação do documento.
“A embaixada melhorou muito o seu atendimento ao público”, referiu Alberto Bumba, funcionário público, pois, com a instalação do serviço “on-line”, o cidadão espera apenas cinco dias pelo visto.
Alberto Bumba explica que, para obter o visto, preencheu um formulário na Internet, onde mencionou todos os dados pessoais, incluindo o dia e hora em que pretendia ser atendido. Depois, foi só esperar cinco dias pelo visto. Antes, o processo demorava mais de duas semanas.
Célsio Pinto, engenheiro de construção civil, que pretende nos próximos dias gozar férias em Lisboa, disse que, comparando com os anos anteriores, o serviço no consulado português melhorou bastante.
O engenheiro conta que, antes, para obter um visto, o cidadão tinha de chegar à embaixada às 4h00 da manhã, para marcar um lugar e receber a senha. Normalmente, só conseguia ser atendido às 11 ou 12h00. “Para obter o visto, desta vez foi simples”, disse. Tal como Alberto Bumba, Célsio Pinto também fez o pedido através da Internet.
O processo resultou de vários acertos entre as autoridades dos dois países, que são membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, organismo que também discute a facilitação da circulação entre os estados-membros.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Dombele Bernardo

DEIXE UMA RESPOSTA