Energia eléctrica ilumina milhares

Pormenor da cidade do Dundo que conhece melhorias no fornecimento de energia eléctrica pública
Pormenor da cidade do Dundo que conhece melhorias no fornecimento de energia eléctrica pública

“É o fim do barulho irritante e permanente dos geradores”, gritava emocionada Sangueve Mwachissengue quando era reinaugurado o sistema de distribuição de energia eléctrica das principais artérias da cidade do Dundo, município do Chitato, província da Lunda-Norte.
Para Sangueve Mwachissengue, moradora do bairro Taxa-Barragem, arredores da cidade do Dundo, “é uma bênção a expansão do sistema de distribuição de energia eléctrica aos vários bairros, na medida em que os postos de transformação privados nem sempre satisfaziam as necessidades dos clientes. Estamos todos felizes com este feito”.
“Pagávamos valores exorbitantes e mesmo assim havia muitas falhas no fornecimento de energia”, contou à reportagem do Jornal de Angola Sangueve Mwachissengue, que agora faz contas à vida e não tem dúvidas de que, além de economizar dinheiro, a energia eléctrica vai permitir aumentar os rendimentos das pessoas que vivem de pequenos negócios.
Sangueve Mwachissengue acrescentou que este esforço do governo provincial vai permitir igualmente que as pessoas possam circular à noite e ajudar os agentes da Polícia a patrulhar vários bairros para diminuir a criminalidade.
Paulino Massua, proprietário de cantina no bairro Camaquenzo, acredita que com o alargamento da rede de distribuição de energia, os lucros do negócio vão aumentar.
“Com a energia, o funcionamento da minha cantina vai ganhar outra dinâmica, além de ajudar a conservar os produtos perecíveis e hortícolas”, realçou Paulino Massua.
Muatxianvua Cassengue, do bairro Camatundo, mostrou-se satisfeita com a iniciativa do governo da província da Lunda-Norte, destacando as vantagens que a energia vai trazer à sua economia, pelo dinheiro que gastava em combustível para o gerador. Tudo ficou mais fácil com a inauguração da cabine de energia, perto da sua residência.

Central hidroeléctrica

Investimentos na montagem de transformadores na central hidroeléctrica do Luachimo, reabilitação da rede de baixa e média tensão e melhoramento da capacidade de produção vieram melhorar a distribuição de energia eléctrica à cidade do Dundo.
O director provincial da Lunda-Norte da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), Luís Marques, disse ao Jornal de Angola que estes investimentos vieram melhorar a qualidade de distribuição de energia eléctrica para mais de 25.000 consumidores da cidade do Dundo e arredores.
Neste momento, acrescentou, já foram cadastrados 5.900 ligações domiciliárias, sublinhando que muitas residências vão continuar com as ligações antigas. Luís Marques garantiu que a empresa vai continuar a trabalhar com vista a melhorar o fornecimento de energia eléctrica.
“O equipamento a ser montado permite determinar os níveis de consumo e ajuda a empresa a racionalizar o fornecimento de energia em função do défice de produção”, disse. Luís Marques referiu que o trabalho que está a ser feito na rede de transporte e distribuição de média tensão vai permitir recuperar 30 por cento de energia eléctrica, perdida com o sistema antigo e pelas ligações anárquicas.
“O sistema antigo tem cerca de 50 anos e não suporta em termos de média tensão. Os Postos de Transformação (PT) eram antigos e as ligações domiciliárias estão degradadas”, disse Luís Marques, que anunciou para breve o início da montagem de contadores, para permitir o controlo dos níveis de consumo de energia.
O responsável acrescentou que os contadores vão trazer benefícios aos consumidores, na medida em que vão saber quanto consumiram e vai permitir que poupem energia.
“Os contadores vão permitir que os consumidores racionalizem o consumo, evitando lâmpadas acesas desnecessariamente”, disse. Exortou os consumidores a celebrarem contratos com a sua instituição para o bem dos consumidores.
Luís Marques adiantou que os empreendimentos estão concluídos em finais de 2012, uma vez que foram feitos estudos de viabilidade para aumento da capacidade de produção na central hidroeléctrica do Luachimo. Luís Marques rejeitou a possibilidade de  intervir nos demais municípios por existirem sistemas alternativos, ou seja, grupos geradores de 150 a 400 KVA, geridos pelas administrações municipais.
Luís Marques anunciou a reabilitação da linha de transporte de alta tensão da cidade do Dundo para as localidades de Cassanguidi, Nzagi, Fucauma, Maludi, Luxilo, Cossa, Lucapa e Calonda, numa distância de 200 quilómetros.

Distribuição de água

Para a distribuição de água potável ao município de Chitato foram empregues quatro sistemas de captação e tratamento de água potável nas localidades de Mussungui, Cazunda, Cabemba e Camatundo, todas concluídas e a implantação de dez sistemas de água subterrânea em fase conclusiva nos bairros de Taxa-Barragem, Samacaca, Sachindongo, Camaquenzo 1e 2, Caxinde, Maboy e Camatundo. Está previsto a construção do sistema de água na comuna de Lovua, cujo empreiteiro já fez o levantamento, aguardando apenas a execução do projecto. O administrador municipal de Chitato, Silva João Cambende, disse que a intenção da Administração é expandir a rede de distribuição de água potável ao Chitato, Dundo e arredores.
“As populações que residem na periferia da cidade do Dundo já beneficiam de água potável”, disse o administrador municipal.

Rede sanitária

Os serviços de saúde no município do Chitato, nos últimos tempos, alcançaram melhorias no atendimento aos pacientes, com o reforço da capacidade técnico-profissional do pessoal e assistência medicamentosa em todas as unidades sanitárias. Silva João Cambende afirmou que a rede sanitária do município do Chitato é assegurada por um hospital municipal, 15 postos de saúde e dez médicos nacionais e estrangeiros.
“Todos os bairros da periferia têm posto de saúde”, frisou o administrador municipal, acrescentando que as patologias mais frequentes são a malária, doenças diarreicas agudas, tuberculose e VIH-Sida.
No sector da educação a administração do Chitato controla 22 escolas dos diversos níveis de ensino, com um total de 192 salas. Silva João Cambende disse que no presente ano lectivo estão matriculados 45.673 alunos e conta com 1.177 professores. No município do Chitato, disse, estão cerca de 4.931 alunos fora do sistema de ensino.
Silva Cambende afirmou que, no quadro do programa integrado de desenvolvimento rural e combate à pobreza, foram matriculados 1.346 alfabetizandos, distribuídos em 12 turmas e com 70 alfabetizadores.

Ravinas

O surgimento de ravinas em alguns bairros do Chitato coloca em perigo a população e preocupa a administração municipal, que tem feito trabalhos para travar a sua progressão.
“No Chitato existem duas ravinas, localizadas no bairro Camaquenzo 1”, disse o administrador. Acrescentou que a administração municipal traçou um programa que foi encaminhado ao governo da província para análise.

Fula Martins | Chitato

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Santos Pedro

DEIXE UMA RESPOSTA