Doenças diarreicas matam várias crianças

Um gesto simples e uma norma social que pode contribuir para salvar milhões de vidas no mundo reduzindo a incidência da enfermidade
Um gesto simples e uma norma social que pode contribuir para salvar milhões de vidas no mundo reduzindo a incidência da enfermidade

Todos os anos, as doenças diarreicas são responsáveis por 18 por cento das mortes de crianças menores de cinco anos em Angola, enquanto as insuficiências respiratórias matam anualmente 16 por cento.
No mundo inteiro, 1,1 milhões de crianças menores de cinco anos morrem todos os anos, na ordem das três mil crianças por dia, em consequência da diarreia.
De acordo com o representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância em Angola (Unicef), lavar as mãos é um gesto simples que pode contribuir para salvar vidas.
Koenraad Vanormelingen entende que a família é responsável no assegurar que todos os membros lavem as mãos antes de comer e depois de usar a casa de banho e argumenta que a lavagem das mãos com água e sabão deve ser uma norma social.
Defende que o simples acto de lavar as mãos com água e sabão em momentos críticos, principalmente depois de usar a casa de banho e antes de ter contacto com os alimentos é uma intervenção chave e eficaz para salvar vidas.
Estudos demonstram que lavar as mãos com água e sabão pode reduzir a incidência da diarreia em cerca de 40 por cento e as infecções respiratórias até perto de 25 por cento. Lavar as mãos pode contribuir de maneira significativa para a redução da mortalidade e a má nutrição infanto-juvenil. Indicada  que a  falta de sabão ou de água não pode constituir uma barreira para a lavagem das mãos.
Apesar de muitas famílias em Angola terem disponível sabão, apenas 36 por cento da população lava as mãos em momentos críticos, de acordo com os dados do Inquérito de Bem-Estar da População (IBEP)Desde 2008, Angola celebra o 15 de Outubro, Dia Mundial de Lavagem das Mãos com água e sabão, com a realização de um acto simbólico de lavagem das mãos simultaneamente em todo o país, em cerca de 10 mil escolas.

O acto é mais do que apenas um dia de celebração e recomenda que a lavagem das mãos com água e sabão seja praticada ao longo de todo o ano. A campanha prevê envolver as crianças, pelo facto destas constituírem agentes efectivos para a mudança, porque elas introduzem a água e sabão, saneamento e intervenção de higiene nas escolas.
Esta prática faz que com que as crianças levem as boas práticas de higiene para as suas casas e comunidades e motivam os familiares a ganhar o hábito de lavarem constantemente as mãos.

 

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Mota Ambrósio

DEIXE UMA RESPOSTA