Decisão do título passa pela vila de Calulo

País vai parar esta tarde para ver jogar as equipas mais competitivas da presente época
País vai parar esta tarde para ver jogar as equipas mais competitivas da presente época

Recreativo do Libolo e Kabuscorp do Palanca disputam hoje, a partir das 15h00, na vila de Calulo, partida com cariz de final, que marca o destaque da 28ª jornada do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola.
No regresso da competição, depois da pausa para entrada em cena dos Palancas Negras, na derradeira ronda da corrida ao Campeonato Africano das Nações (CAN-2012), a ser co-organizado pelo Gabão e Guiné-Equatorial, Libolo e Kabuscorp jogam com honras de candidatos à conquista do título máximo do futebol angolano.
Separados na tabela classificativa por um escasso ponto (53-52), com vantagem para a formação de Calulo, os contendores escrevem, hoje à tarde, uma nova página na história da competição, pois nunca as contas em torno do campeão foram feitas sem o concurso dos colossos Petro de Luanda e 1º de Agosto, ou ainda dos integrantes da chamada segunda força, ASA e Interclube.
Por conta de um percurso regular, Recreativo do Libolo e Kabuscorp do Palanca invertem os papéis e subalternizam os papões do Girabola. Algumas vezes beneficiaram do ajuizamento menos correcto das arbitragens, mas, no essencial, marcam a diferença pelo seu melhor preparo competitivo em relação à concorrência, daí o mérito da vantagem que detêm.Os números de ambas equipas na prova, expressos em 16 vitórias para cada uma, em 27 jogos, 5-4 (empates), 6-7 (derrotas) e 42-20/42-24 na relação entre golos sofridos e marcados, atestam o equilíbrio existente, razão pela qual se desaconselha a indicação de um favorito à conquista dos três pontos.
Nem o factor casa faz da equipa às ordens de Zeca Amaral, treinador angolano que abandonou o comando dos Palancas Negras para abraçar o projecto ambicioso do grémio do Kwanza-Sul, mais cotada do que o adversário.
Líder indiscutível na mobilização do apoio popular, facto que confere dignidade ao futebol angolano, o Kabuscorp do russo Victor Bondarenko já mostrou possuir argumentos para discutir a vitória em qualquer campo do país. Chegou a fazer, sobretudo na primeira volta, vários jogos com “nota artística”.
O desfecho da partida está longe de sentenciar a discussão do título no plano das hipóteses matemáticas, mas deixa o vencedor em situação privilegiada para a materialização do almejado feito inédito, a duas jornadas do fim da prova.

Em teoria, o Recreativo do Libolo tem uma recta final mais acessível, por visitar o Progresso do Sambizanga e receber, em Calulo, o FC Cabinda, ambos assoberbados nas contas da permanência na I Divisão, enquanto o Kabuscorp do Palanca tem de colocar “conversa em dia” com o Petro de Luanda e defrontar o indesejado Santos FC.
Apenas duas equipas (Interclube e Petro) conseguiram sair dos domínios do Libolo com os três pontos na bagagem. Por essa lógica, os pupilos de Zeca Amaral são amplamente favoritos à vitória, porém esbarram na fortaleza dos números do Kabuscorp, que fora de casa somou 21 significativos pontos e derrotou o seu adversário, por 2-1, na primeira volta.
Lançados os dados, a partida, que tem a particularidade de ser ajuizada por Hélder Martins, o árbitro mais categorizado do país, tem as condições para que a “nação futebol” viva momentos a serem recuperados mais tarde. E, pela grandeza do evento, Angola está convocada a seguir os acontecimentos através da TPA.
Hoje jogam ainda 1º de Maio-ASA, Santos FC-Sagrada Esperança, Académica do Soyo-Progresso do Sambizanga e 1º de Agosto-FC Cabinda. Amanhã o Petro recebe a Académica do Lobito.

 

Honorato Silva

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

DEIXE UMA RESPOSTA