Cultura realiza Feira de Artesanato para mobilizar sociedade angolana

Na iniciativa do Ministério da Cultura vão estar expostas várias categorias artísticas na promoção do artesanato angolano
Na iniciativa do Ministério da Cultura vão estar expostas várias categorias artísticas na promoção do artesanato angolano

O Ministério da Cultura realiza, de sexta-feira a domingo, a partir das 9h00, na Praça da Independência, em Luanda, a II edição da Feira Nacional de Artesanato com o intuito de promover as artes angolanas.
António Fonseca, coordenador da feira, que ontem avançou a informação ao Jornal de Angola, disse ser ideia do Ministério da Cultura desenvolver este projecto anualmente, com vista a fomentar, através de exposições, oficinas demonstrativas e comercialização, os trabalhos dos artesãos.
A organização espera receber, durante os três dias de actividade, mais de  dez mil visitantes. “Esperamos que as pessoas possam aderir, uma vez que a feira vai até à noite para facilitar aqueles que não têm tempo ao longo do dia.”
O coordenador da iniciativa disse que outro propósito é criar um maior intercâmbio cultural entre os artesões e o público. “O objectivo do Executivo é o relançamento do artesanato nacional, para gerar empregos, reduzir a pobreza e debater o seu lugar na economia angolana”, referiu. Para a II edição da Feira Internacional de Artesanato, o Ministério da Cultura conta com a parceria de todos os governos provinciais. “Está tudo a postos. O país está mobilizado e já estão a ser montadas as tendas”, disse António Fonseca. Na sua opinião, esta é uma oportunidade para que a organização possa congregar cerca de 34 artesãos provenientes de outras províncias e 40 de Luanda, num único espaço, onde vão estar expostas as diversas categorias por produto e a actividade artesanal por província.
“Cada direcção provincial da cultura vai estar representada com dois artesãos e Luanda com 40. Mas as portas estão abertas a quem quiser expor os seus produtos, desde que contactem a organização”. A feira do artesanato, acrescentou, vai proporcionar um melhor conhecimento do estado actual do artesanato em Angola, a sua evolução artística e a sua adaptação às condições da vida moderna. “Vai ser um espaço onde os artesãos vão ter a oportunidade de mostrar o resultado da sua actividade, tanto de forma individual como colectiva”, disse.
A iniciativa tem inscritas várias categorias artísticas, como cerâmica, gravura, escultura, tecelagem, pintura, vestuário e calçado, artigos de beleza e adorno, cosméticos e outras que se entendam como artesanato. O também director do Instituto Nacional das Indústrias Culturais (INIC) disse que estão também criadas as condições de selagem das peças, para quem quiser levá-las para o estrangeiro.
“O Instituto Nacional do Património já está, igualmente, mobilizado para o efeito. Teremos várias peças em exposição, desde as decorativas às utilitárias, e quem as quiser levar para o exterior o poderá fazer”, garantiu.

 

Manuel Albano

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

2 COMENTÁRIOS

  1. gostava imenso de comprar artesanato angolano para mim proprio pois tambem sou angolano, no entanto nao sei como adequirir essas bonitas esculturas.
    Se alguem me informasse um meio ficava agradecido

    • Bom dia Senhor Lino Pinheiro, chamo-me Jorge Monteiro, sou o mentor do Portal de Angola. Gostaria de saber que tipo de artesanato pretende? Encontro-me em Angola de momento, estarei na Europa em Fevereiro e posso trazer-lhe algumas peças de artesanato.

DEIXE UMA RESPOSTA