Credores da Grécia dão sinal verde para nova parcela de ajuda ao país

Grécia
Grécia

A troika – União Europeia, FMI e Banco Central Europeu -, deu o sinal verde para o desbloqueio de uma nova parcela de 8 bilhões de euros de empréstimo ao país, prevista para o início de novembro. O montante, que faz parte do plano de ajuda a Atenas decidido em maio de 2010, é considerado essencial para o país evitar um calote no pagamento de suas dívidas.

Em um comunicado, a delegação reunindo os três principais credores da Grécia anunciou ter chegado a um acordo com as autoridades locais sobre a política orçamentária e econômica necessária para “ colocar seu programa econômico nos trilhos”.

Assim que as conclusões da troika forem aprovadas pela zona do euro e pelo FMI, a parcela de 8 bilhões de euros será disponibilizada, provavelmente no início de novembro, segundo o relatório.

O desbloqueio da nova parcela deve apenas aliviar temporariamente as necessidades financeiras da Grécia que enfrenta uma situação econômica que se agrava a cada dia. A dívida pública do país deverá atingir 162% do PIB este ano, o que obrigou os europeus a discutiram um segundo plano de ajuda ao país no mês de julho.

O documento, no entanto, prevê “medidas adicionais” nos orçamentos de 2013 e 2014 para cumprir os objetivos de redução de déficit fixados no plano.

Diante das conclusões de uma auditoria iniciada em setembro, suspensa posteriormente para obrigar o governo a adotar novas medidas de austeridade diante do aumento das despesas públicas, a delegação julgou “essencial que as autoridades se concentrem nas reformas estruturais” de redução do setor público e de liberalização da economia grega.

A troika reafirma que o sucesso do plano de salvamento da Grécia ainda depende da mobilização do financiamento adequado da parte dos parceiros e dos credores privados do país. Os dirigentes europeus, que devem avaliar suas futuras decisões sobre a Grécia na próxima reunião de Cúpula no dia 23 de outubro, discutem agora sobre uma reestruturação geral da dívida grega ainda maior do que a prevista para tirar o país e toda a zona do euro da crise.

Protestos

Enquanto os credores da Grécia aprovavam a nova parcela de ajuda ao país, manifestantes bloqueavam nesta terça-feira o acesso a vários ministérios como o das Finanças e do Interior, durante mais um dia de greve convocada pelo funcionalismo público. Eles carregavam cartazes pedindo “não às demissões e à redução de salários”.

O ministro grego das Finanças, Evangelos Venizelos, afirmou que a Grécia não vai sair da zona do euro. “A Grécia está e vai continuar sempre na zona do euro, um membro do euro”, martelou.

Venizelos deverá comunicar ao Pasok, o partido no poder, o novo projeto de redução das aposentadorias e da supressão de milhares de postos de trabalho do setor público.

 

Fonte: RFI

Foto: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA