Compositor André Mingas entre os melhores clássicos

Presidência manifesta pesar
Presidência manifesta pesar

Os órgãos auxiliares do Presidente da República manifestaram, ontem, numa mensagem, profundo pesar pelo passamento físico de André Mingas, ocorrido, na terça-feira, no Brasil, vítima de doença, aos 61 anos.
“Perante tão infausto acontecimento, curvamo-nos perante a sua memória e apresentamos à família enlutada os mais profundos e sentidos pêsames”, refere a nota. André Mingas, arquitecto de formação, dedicou parte da vida à política. Era cônsul de Angola em São Paulo. Antes foi secretário do Presidente da República para Assuntos Locais e vice-ministro da Cultura.
Também músico e compositor, é considerado um dos artistas da geração de ouro da música angolana, a par, entre outros, de Filipe Mukenga e Waldemar Bastos. O seu primeiro álbum, “Coisas da Vida”, lançado há mais de 30 anos, continua a ser uma das referências da música angolana, misturando ritmos nacionais com o jazz e rock.
Entre os seus temas mais conhecidos conta-se “Mufete”, um dos grandes êxitos da música popular urbana angolana.

Bureau Político

O Bureau Político do MPLA manifestou ontem, em Luanda, “profunda dor e consternação” pelo falecimento do músico André Mingas.
Numa mensagem de condolências, o órgão de cúpula do partido no poder define André Mingas como “homem de cultura e do saber”.
“Compositor e cançonetista de reconhecido mérito, André Mingas contribuiu notavelmente para a elevação e afirmação da música angolana, mormente do ritmo semba, onde, com mestria, soube arregimentar músicos da nova geração e que hoje dão cartas no movimento musical nacional e internacional”, sublinha a nota.
O Bureau Político do MPLA salientou também o papel de André Mingas enquanto agente de massificação da cultura angolana, na concretização do célebre projecto “Canto Livre de Angola”.
O projecto levou, em 1982, uma diversificada comitiva de artistas ao Brasil, que respondia, assim, a idêntica iniciativa brasileira realizada dois anos antes, o “Projecto Kalunga”. O MPLA considera, na nota, o desaparecimento físico de André Mingas “uma perda muito grande para Angola”.

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: DR

DEIXE UMA RESPOSTA