Ciência e tecnologia nas prioridades do país

Secretário de Estado para Ciência e Tecnologia João Sebastião Teta
Secretário de Estado para Ciência e Tecnologia João Sebastião Teta

A concretização da política nacional de ciência, tecnologia e inovação está inserida na estratégia de desenvolvimento do país, afirmou na quinta-feira, em Luanda, o secretário de Estado para Ciência e Tecnologia.
João Teta falava no encerramento da II Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia, que decorreu durante dois dias em Luanda, e que teve como lema “Os caminhos da ciência, os ecossistemas e as tecnologias”, organizada pelo Ministério do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia.
Secretário de Estado referiu que “um dos desafios da ciência é o reforço da consciência pública sobre a importância da investigação científica para o desenvolvimento da espécie e civilização humanas”.
Os participantes na conferência concluíram que, na maioria dos países africanos, existe uma tendência generalizada para o crescimento nesta área. “Os novos modelos de gestão dos parques tecnológicos, que incluem os conceitos de pesquisa, têm contribuído para maior articulação entre a academia e a indústria, resultando no crescimento dos indicadores de produção científica e do índice de desenvolvimento tecnológico e na inovação”, afirmam.
Durante a conferência, que serviu de palco à apresentação de diversos trabalhos científicos, foi apresentado um estudo relacionado com a frequência de mutações associadas à resistência aos retrovirais e à variabilidade genética do VIH em grávidas, recentemente diagnosticadas em Luanda, e que demonstrou que é urgente a realização de testes de genotipagem em gestantes, visto haver maior necessidade de prevenção da transmissão do vírus da mãe para o filho.
Um outro estudo, realizado em crianças com convulsões febris, revelou que a utilização do fármaco “Diazepan” em supositório é a via de administração menos invasiva e mais rápida, não requerendo pessoal especializado, o que garante uma opção mais rápida e ao mesmo tempo segura para o paciente, do a via intravenosa.
Foi dado igualmente a conhecer que o fruto da múcua pode ser utilizado na indústria alimentar como conservante ou na terapêutica humana para evitar processos de foto envelhecimento, e na protecção da pele e do cabelo, antevendo-se um potencial uso para o controlo de algumas doenças crónicas.

Os conferencistas identificaram a existência de potenciais áreas de parceria científica entre Angola e África do Sul, nomeadamente nas ciências biológicas e espaciais, incluindo o sensoriamento remoto, conhecimento tradicional, ambiente e alterações climáticas. A II Conferência Nacional sobre Ciência e Tecnologia recomendou um maior investimento na formação e actualização dos recursos humanos nos países em vias de desenvolvimento, de modo a garantir a sua autonomia e desenvolvimento sustentável. Há que, referiram os conferencistas, “desenvolver o espírito de empreendedorismo, numa interacção  coordenada entre a academia, a indústria e as políticas, em função das necessidades do crescimento local”.
Criar incentivos à investigação, ciência e tecnologia, procurando desenvolver a cultura de que o conhecimento e a inovação são a chave do crescimento sustentável de qualquer país e monitorizar e aplicar medidas mitigadoras, de compensação ou de requalificação, integradas num plano de gestão a médio e longos prazos, foram outros aspectos recomendados.
Os conferencistas sublinharam a necessidade de se investir na educação ambiental da população e na implementação de medidas estratégicas para mitigar os efeitos das alterações climáticas, nomeadamente no estabelecimento de áreas marítimas protegidas.  Além disso, recomendou o reforço da capacidade institucional dos centros de pesquisa das universidades e dos centros de investigação no país, a criação de redes de estudos, com vista à melhoria da qualidade do ensino e da investigação e a implementação de projectos de âmbito nacional, tendo em conta o seu impacto e extensão a uma escala regional, procurando-se maximizar os recursos.

Edivaldo Cristóvão

Fonte: Jornal de Angola

Fotografia: Jornal de Angola

 

DEIXE UMA RESPOSTA