Cameron ameaça cortar ajuda de países que não respeitam direitos dos homossexuais

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, participa de uma conferência de imprensa durante a cúpula do Commonwealth na Austrália.
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, participa de uma conferência de imprensa durante a cúpula do Commonwealth na Austrália.

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, ameaçou neste domingo excluir dos programas de ajuda britânicos os países que não reconhecem os direitos dos homossexuais. A declaração foi feita após o final da cúpula dos líderes do Commonwealth, que não conseguiram chegar a um acordo sobre a democracia e os direitos humanos.

“O Reino Unido é um dos principais doadores do mundo. Queremos que os países que recebem essa ajuda respeitem os direitos humanos e isso inclui o tratamento reservado aos homossexuais”, disse Cameron em uma entrevista concedida à BBC após o final da cúpula do Commonwealth neste domingo.

“A ajuda britânica deveria ser mais ligada à maneira como os países se comportam, se eles perseguem as pessoas por causa da fé ou da sexualidade delas. Nós consideramos isso inaceitável”, acrescentou o primeiro-ministro. Ele admitiu, porém, que as mudanças nos países implicados levariam bastante tempo.

Divergências

Reunidos desde sexta-feira na Austrália, os líderes dos 54 Estados do Commonwealth, que representam cerca de dois bilhões de pessoas na Grã-Bretanha e nas ex-colônias britânicas, se separaram neste domingo sem terem chegado a um acordo sobre a democracia e os direitos humanos. Os direitos das minorias sexuais foram um dos principais pontos de divergência.

Além disso, David Cameron pressionou o Sri Lanka para progredir no que diz respeito aos direitos humanos antes de abrigar a próxima cúpula do Commonwealth, em 2013. Caso contrário, alguns países poderão boicotar a reunião. O primeiro-ministro se recusou, no entanto, a dizer se o Reino Unidos seria um deles.

 

Fonte: RFI

Foto: Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA